RFID Noticias

T-Systems Brasil oferece soluções de RFID sob demanda

A partir desta visão, segundo Ribeiro, a T-Systems do Brasil estruturou um portfólio de ofertas, inicialmente para o setor automotivo, mas que agora já chega ao segmento de varejo, com base em computação em nuvem na modalidade SaaS (Software as a Service), que permite aos clientes adquirir as soluções sob demanda e pagando pelos serviços utilizados.

Carlos Ribeiro, da T-Systems Brasil
O Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de produtos foi desenvolvido pela equipe brasileira da T-Systems e permite sincronizar fornecedores com toda a cadeia produtiva, com o objetivo de simplificar e agilizar o processo de produção, logística e fiscalização de mercadorias no país, garantindo uma maior segurança na circulação de produtos.

“Nosso diferencial é poder distribuir informações, compartilhando custos na cadeia e não simplesmente vender transponders e leitores”, afirma Carlos Ribeiro. A T-Systems reúne atualmente no Brasil um time de especialistas em aspectos que envolvem a adoção do RFID em empresas dos mais diversos mercados e modelos de negócios. “São profissionais que dominam todas as etapas de projetos que utilizam esta tecnologia, desde a fase de levantamento de informações até a integração de sistemas e instalação da infraestrutura necessária”, afirma Ribeiro.

A T-Systems criou uma rede de fornecedores de hardware, tags e serviços de RFID no Brasil e, com o seu modelo de negócios sob demanda, pretende definir os custos para identificação e rastreamento de cada item, ou seja, cada produto, em um determinado segmento de mercado. “Minha visão é de exportação de tecnologia RFID do Brasil para a Alemanha”, explica Ribeiro.

“A T-Systems quer otimizar todo o custo da cadeia”, diz Ribeiro. “Quanto custa um rastreamento por item, da fabricação por um OEM até chegar à ponta da venda. Se o mesmo ID for lido na cadeia toda, os custos caem muito e o ROI [retorno sobre o investimento] para cada player será maior. Isto acaba se refletindo no business das empresas”.