RFID Noticias

Como gerenciar objetos de arte da sua empresa com RFID

A solução da Corporate Art Force foi anexar uma etiqueta contendo um inlay RFID Avery Dennison AD-223 atrás ou embaixo de cada pintura ou escultura. Quando a CAF recebe uma obra de arte de um artista, os dados sobre o item, como seu tamanho, título, descrição e valor aproximado, junto com o nome do artista, são inseridos no software SimplyRFID da NoxVault, que interpreta os dados lidos e permite aos utilizadores relacionar o número da etiqueta de identificação com a localização. As informações podem então ser integradas com o sistema de gerenciamento de inventário existente, ou com uma planilha Microsoft Excel. O empregado da CAF, em seguida, lê o ID da etiqueta fixada na pintura, usando um leitor portátil NoxVault, e levanta a descrição da peça de arte. Quando o trabalho artístico é entregue a um cliente, um trabalhador da CAF lê o número de cada item. O software NoxVault instalado em uma unidade portátil apresenta uma descrição da obra de arte e o empregado da CAF pode então confirmar que a arte está sendo entregue para o cliente correto, além de criar um registro de entrega.

Os clientes podem escolher se querem ou não optar pelo programa SmartArt. Enquanto a CAF está atribuindo tags RFID em toda arte nova que vende, a empresa também pode fornecer etiquetas para seus clientes existentes, para serem anexadas às suas coleções de arte, bem como leitores NoxVault portáteis. Se um cliente solicita o serviço de SmartArt, terá de pagar uma taxa de inscrição. Ao realizar a contagem de inventário programada ou solicitada, ou a limpeza da obra, um trabalhador da CAF primeiro lê a tag de cada item. O leitor, então, apresenta a descrição do trabalho artístico e histórico de manutenção, tais como as datas de limpeza. Embora o leitor possa transmitir dados para um servidor através de uma conexão Wi-Fi ou GSM, a equipe da CAF pode simplesmente armazenar as informações sobre o dispositivo e, então, ligá-lo a um PC ou laptop no final do dia, a fim de descarregar os dados de leitura.

Cada etiqueta contém um inlay RFID Avery Dennison AD-223 passivo UHF EPC Gen 2

Antes da criação do programa de SmartArt, a SimplyRFID e a CAF discutiram suas opções de hardware, incluindo o uso de tecnologia UHF ou uma alternativa, como HF. "Nós conversamos sobre o que é a melhor solução para o rastreamento de arte", diz Carl Brown, presidente do SimplyRFID. "A UHF dá-lhes um longo alcance de leitura de 20 pés e uma taxa de leitura de mais de 100 tags por segundo. Isso faz com que os estoques sejam inventariados rapidamente e ajuda a garantir que a arte correta será entregue".

O programa SmartArt está sendo testado por uma empresa Fortune 500 localizada em Minneapolis, de acordo com Kieger, que não revelou a identidade da companhia.