RFID Noticias

Rede de farmácias colombiana utiliza RFID e biometria para impedir falsificação de remédios

A solução ajuda a Medicarte a rastrear quantos remédios foram etiquetados e quantos são realmente utilizados por pacientes. Além disso, ajuda a companhia a monitorar as datas de validade dos produtos, as quais são inseridas no seu sistema de gestão empresarial e relacionadas às tags dos produtos. Quando um funcionário da farmácia está prestes a entregar um produto cuja data de validade está próxima da expiração, surge um alerta no computador assim que a tag do remédio é lida.

O sistema está em uso nas cidades de Bogotá, Cali, Medelin, Barranquilla, Pereira e Manizales. O software funciona num sistema de cloud computing (computação em núvem, ou software oferecido como serviço pela internet) e se conecta ao sistema de gestão empresarial da empresa (ERP). Antes, porém, de implantar o sistema com RFID, os empregados da empresa registravam os medicamentos manualmente usando um adesivo colorido, onde colocavam os nomes de cada paciente escrito na fita. Deste modo, a companhia conseguia gerenciar o retorno das embalagens entregues anteriormente. Com o RFID, segundo a Medicarte, houve uma grande redução dos erros humanos que ocorriam com frequência.

“O RFID nos ajudou a melhorar alguns processos internos”, relata Durango. “Apesar de ter ser necessário um tempo para iniciar o novo processo, pois temos de etiquetar todos os produtos que chegam dos fabricantes, o tempo é recuperado quando entregamos os remédios para os pacientes e quando recebemos de volta as embalagens vazias”.

“Acredito que para otimizar o sistemas temos de contar com a adesão dos fabricantes, já que os medicamentos especiais poderiam ser etiquetados já no centro de distribuição de cada empresa”, completa.

Nestea ano (2012), a Medicarte planeja utilizer telefones celulares equipados com Comunicação de Curta Distância (Near Field Communication – NFC), uma outra forma de RFID, para permitir a entrega em domicílio de remédios. O entregador poderia, então, scannear os produtos diretamente na casa do cliente, já que o aparelho terá como mandar remotamente a informação para o ERP da Medicarte, e verificar a autenticidade das informações, inclusive, utilizando um GPS, confirmando se o local onde o remédio foi entregue coincide com o registrado pelo software.