RFID Noticias

Austrália adota solução com RFID para rastrear alfândegas e realizar proteção de fronteiras

A equipe do escritório central de gestão pode fazer logon no software de gerenciamento de inventário de armas para visualizar dados em tempo real e realizar auditorias a qualquer tempo, bem como criar listas de verificação de manutenção, uma vez que o software pode sinalizar estes prazos. As listas de verificação podem ser usadas pela equipe para localizar os ativos para manutenção ou reparo. Em ambos os casos, cada tag ativa deve ser verificada no arsenal, onde um membro da equipe, usando o leitor de mão, deve selecionar um aviso indicando se o item estava sendo atendido no local ou se foi enviados para fora do local para manutenção. Antes da instalação do sistema RFID, o pessoal do escritório simplesmente colocava avisos de papel sobre o equipamento para manutenção, a fim de garantir que ele não seria usado. Com o sistema assetDNA, no entanto, um alerta será exibido uma vez que a tag é lida por um interrogador handheld, indicando assim que o item requer serviço antes que possa ser usado por um oficial.

Em alguns casos, leitores portáteis também estão sendo usados em navios operados pela Agência de Alfândega e Proteção de Fronteiras. Um oficial de navio pode utilizar o leitor portátil para leitura de cartões de membros do pessoal, juntamente com os IDs de qualquer equipamento atribuído a estes indivíduos.


Tony Hilder, da HID Global


Como o sistema seria usado em locais diversos e por muitos funcionários, diz Bennett, o software precisa ser claro e fácil de usar. Além disso, as tags tem de ser robustas o suficiente para suportar danos causados por água ou impactos. Os resultados tem sido bons, na avaliação dele, com auditorias sendo realizadas com mais frequência, agora que a central tem acesso aos dados em tempo real. As auditorias que antes exigiam quatro horas ou mais para serem concluídas, agora podem ser realizadas em uma hora ou menos.

Desde que o sistema entrou no ar durante o verão, diz Bennett, a alfândega australiana e o Serviço de Proteção a Fronteiras "tem sido melhor, mais rápido e fornece dados mais confiáveis". A agência não quis comentar.

Durante os últimos 10 anos, a Relegen também forneceu seu sistema de RFID para a Australian Defense Force (ADF), ou Força de Defesa Australiana, com a finalidade de gerenciar seus ativos.