RFID Noticias

Empresas de Maconha Medicinal Usam Tags EPC para Manter as Coisas Direto

Além disso, a LeafTrack pode fornecer sensores que detectam mudanças de temperatura, luz, nível de pH do solo e outros fatores que poderiam influenciar a saúde de uma planta. Estes sensores com fio, instalados em cada estufa, transferem dados para o software da LeafTrack e o sistema pode mandar e-mail um de alerta, se as condições se tornam insalubres para as plantas. A empresa também está testando soluções sem fio em que os sensores poderiam ser construídos em um único dispositivo, com transponders RFID para fornecer conjuntos individuais de dados de sensores para cada planta, a fim de acompanhar as condições em toda a estufa. Por exemplo, diz Hanson, se o reposicionamento de um exaustor - que pode ser usado na estufa para dispersar o ar quente - por 45 graus pode aumentar a produção de uma única planta, os produtores se beneficiariam de ter tais informações.

Durante a colheita, cada planta é colocada dentro de um contêiner (normalmente há 16 ou mais recipientes para cada planta, variando em tamanho desde o de uma bateria D até um galão de capacidade). Uma tag RFID adesiva (também fornecida pela SK&T Integration) é anexada a cada recipiente e lida, assim casando cada número ID de tag da planta com o ID da tag do recipiente do produto no software. Os recipientes de plantas são, então, movidos para a área de processamento, na qual eles são ou cozidos em um outro produto para ser comido, ou são processados para fumar. Cada produto é então embalado e outra tag RFID é anexada, contendo o número de identificação impresso na frente na forma de texto e código de barras. Essa tag é então casada com a ID do recipiente e das plantas.

O Site da Web da LeafTrack, Findmary.com, permite aos consumidores entrar o número de identificação impresso no rótulo RFID e visualizar informações sobre o produto que poderia incluir tudo, desde a história da planta, como quaisquer pesticidas que podem ter sido usados nessa planta, até o volume de maconha contido no produto, e se todos os outros ingredientes, como ovos, são de natureza orgânica. (Todos esses dados são fornecidos pelo fornecedor de produtos.)

Além disso, a empresa informa, os dados podem ser compartilhados com órgãos estaduais para fornecer uma visão sobre a história de cada planta, indicando como ela é cultivada, processada e vendida.

No futuro, diz Hanson, o Colorado planeja criar seu próprio banco de dados para armazenar os detalhes referentes a cada planta e sua colheita. No entanto, ele observa, o software LeafTrack pode encaminhar os dados diretamente para o banco de dados, se necessário.