RFID Noticias

Empresas de Maconha Medicinal Usam Tags EPC para Manter as Coisas Direto

Produtores têm, tradicionalmente, fornecido informações sobre suas plantas para as autoridades do Colorado via papelada, e o estado também realiza inspeções periódicas, momento em que um inventário da produção pode ser tomado. Após a maconha ter sido colhida, a matéria-prima era muitas vezes transportada para outros que processavam e vendiam o produto. A nova regulamentação do Colorado, no entanto, dita que 70 por cento do estoque do fornecedor do produto em mãos deve ser feita a partir de maconha cultivada por essa mesma companhia. Os dois fornecedores de produtos que estão atualmente utilizando o sistema LeafTrack estão conjuntamente etiquetando aproximadamente 60.000 plantas por ciclo de quatro meses, e estão servindo até 10.000 clientes. Os clientes da LeafTrack pediram para permanecerem anônimos.

Com o sistema LeafTrack, quando as plantas atingem várias semanas de idade, a descrição de cada planta (condição e data de plantio) e número de identificação são inseridos no software LeafTrack, de modo que elas podem ser rastreadas em todo o seu tempo de vida. A LeafTrack projetou uma tira de plástico - similar bandas de pulso e de tornozelo RFID usadas em bebês em alguns berçários de hospital com um inlay EPC Gen 2 RFID embutido da SK&T Integration. A frente da banda, fornecida pela Precision Dinamic Corp (PDC), é impressa com o número único de ID do inlay RFID em forma de texto e em código de barras, para aqueles sem leitores RFID. A banda está amarada em torno da haste de cada planta, e a tag RFID e número de código de barras são digitalizados e ligados entre si no sistema, por meio de um computador manual CN3 da Intermec com um leitor RFID IP30 e software LeafTrack em execução, a fim de gerenciar a leitura dos dados e encaminhar essas informações para o sistema final.

Até 99 plantas serão agrupados em um lote, diz Hanson, representando as sementes plantadas ao mesmo tempo. Plantas de maconha são cultivadas em estufas e requerem uma grande quantidade de cuidado à medida que crescem, ele explica. Não só eles precisam de muito calor e luz, eles também devem ser protegidas de insetos e fungos. Algumas infestações de insetos, se atacarem uma planta, podem se espalhar para outras plantas no mesmo lote no prazo de 24 horas, portanto potencialmente destruindo dezenas de plantas ou mais em pouco tempo. Cada planta é avaliada em aproximadamente US$ 500, portanto, a perda de até mesmo uma única planta pode prejudicar os lucros da companhia. Por esse motivo, o software é configurado para emitir alertas imediatamente se forem detectados problemas com relação a qualquer planta, na forma de e-mails enviados para a administração.

As plantas são tipicamente inspecionadas uma vez por semana, ou mais frequentemente. Quando um funcionário inspeciona as plantas, ou fornece nutrientes para o seu solo ou água, ele passa o leitor Intermec sobre todas as plantas e determina, inicialmente, se todas as plantas estão contabilizadas no lote. Se esse não for o caso, o leitor indica que os números de identificação estão faltando, e o inspetor pode decidir ler as tags mais uma vez, ou enviar uma notificação de que uma determinada planta está faltando. Se o empregado acha que uma ou mais plantas estão infectadas ou insalubres, ele pode ler a ID da tag da planta, entrar detalhes sobre o problema e tirar uma fotografia da planta atingida com o mesmo dispositivo. A imagem da planta, detalhes e ID são encaminhados através de uma conexão Wi-Fi ou celular para o software residente no sistema do usuário final, que envia uma mensagem de e-mail para o gerente autorizado.