RFID Noticias

Portas inteligentes equipam armazém do Texas

As portas de alta velocidade permitem que apenas motoristas de empilhadeiras autorizados acessem freezers e refrigeradores

Por Claire Swedberg

4 de setembro de 2019 - Existem várias tecnologias que podem gerenciar a automação da abertura de portas em ambientes industriais e de armazém, mas cada uma tem seus próprios benefícios e deficiências. Sensores de infravermelho ou de movimento identificam quando alguém está perto de uma porta, solicitando que ela se abra, mas não conseguem discernir quem é essa pessoa. A RFID, por outro lado, pode identificar exclusivamente uma pessoa ou veículo, mas em alguns casos pode ser difícil controlar rigorosamente o alcance da leitura.

Um varejista do Texas, nos Estados Unidos, resolveu seu próprio problema logístico ao gerenciar portas automatizadas em um armazém com tráfego intenso, usando um sistema baseado em RFID da TagMaster North America e implantado pela DH Pace Co. A solução emprega a tecnologia RFID BAP (passiva assistido por bateria) de 2,45 GHz para identificar a localização de uma empilhadeira a alguns metros de uma porta automatizada e para confirmar se esse veículo está autorizado a entrar antes que a porta se abra.

Ali Khaksar, da TagMaster
A empresa, que pediu para permanecer não identificada, armazena e gerencia uma grande quantidade de produtos sensíveis à temperatura em seu armazém no Texas. A instalação possui dezenas de freezers e refrigeradores nos quais os produtos são armazenados até que possam ser carregados em um veículo para entrega nas lojas. A empresa foi desafiada, no entanto, a controlar quando essas portas são abertas e fechadas. Um sistema de sensor baseado em IR fazia com que as portas se abrissem com muita frequência, mesmo que um veículo não estivesse entrando no freezer ou no refrigerador, mas simplesmente permanecendo nas proximidades.

Isso criou um risco à segurança dos motoristas de empilhadeiras, diz Ali Khaksar, presidente da TagMaster. Eles poderiam, por exemplo, se distrair do trabalho quando as portas se abriam e se fechavam ao redor deles, e poderiam tomar medidas extras para garantir que as portas não se abrissem inadvertidamente, o que significava possíveis acidentes. A empresa implantou um sistema baseado em sensor para combater o problema. Com o sistema de detecção de movimento, se o movimento for detectado, ele solicitará que o controlador de roll-up abra a porta. "Não estava funcionando de acordo com a expectativa deles", lembra Khaksar.

A empresa considerou uma solução passiva de RFID, no entanto, com muita frequência, o intervalo de leitura de tags pode ser tão longo que a porta se abriu mesmo quando a empilhadeira não estava imediatamente em frente à porta ou tentando entrar. O resultado seria o mesmo problema: portas se abrindo em horários inadequados. Isso também pode levar a custos excessivos de energia, já que a temperatura interna do congelador aumentaria toda vez que a porta se abrisse. Os produtos armazenados perto da entrada do freezer ou do refrigerador também podem sofrer um aumento de temperatura que pode afetar a vida útil do produto.

A Tag Master começou a trabalhar com DH Pace e o varejista neste ano, diz Khaksar. O primeiro desafio foi reduzir o alcance de leitura das tags de empilhadeira. "Eles queriam ler etiquetas a uma distância máxima de um metro do leitor da porta", explica. Esse é um dos benefícios das tags BAP da TagMaster, observa Khaksar, acrescentando: "Com o nosso sistema RFID de microondas, é muito fácil definir a zona de leitura.