RFID Noticias

Esperança de varejistas reside no BOPIS

Com a RFID, os varejistas têm consideravelmente mais opções. Têm dados em tempo real sobre o estoque em qualquer local específico, por exemplo, portanto, quando um cliente faz um pedido, se esse item estiver sem estoque, o varejista agora pode oferecer alternativas - um produto semelhante, por exemplo, ou está disponível em uma loja vizinha.

A RFID não fica sozinha, Buzek ressalta. A visão computacional permite que os varejistas visualizem os locais das mercadorias em locais onde as etiquetas RFID podem não ser lidas bem, como na presença de uma grande quantidade de metal ou líquido. Quando uma empresa possui dados precisos, a IA e o aprendizado de máquina também podem ser aplicados.

A computação de borda (Edge Computing) é cada vez mais importante se uma empresa mudar para leituras perpétuas de inventário, diz Buzek, para filtrar os dados coletados em tempo real nas lojas. Por exemplo, com a computação de ponta, o software de um varejista pode identificar quais produtos estão em movimento e, portanto, deve ser monitorado, em oposição aos que estão estacionários, filtrando dados antes de irem para um servidor. "Existe um enorme valor em saber o que está se movendo com o que, mas esses dados precisam ser filtrados no nível da loja antes de serem compartilhados".

Segundo Buzek, um cliente varejista da IHL conseguiu reduzir seu estoque em 40% ao usar RFID e tecnologias relacionadas. A empresa conseguiu "dimensionar corretamente o estoque". Esse espaço adicional na loja pode ser usado para outros fins, observa, incluindo a oferta de outros produtos ou a abertura do espaço para os clientes. "A cenoura no final do jogo é a capacidade de atender à demanda dos clientes 100% do tempo".

A conclusão de Buzek é que as contas da mídia tradicional sobre falhas nos varejistas não devem ser levadas a sério. "O varejo é forte, mas está mudando rapidamente", diz ele. "Os varejistas devem se comprometer com a TI transformacional e remover o atrito da compra". Neste ano ainda, a IHL planeja lançar um novo estudo que examina mais essas descobertas, intitulado "Renascimento do varejo - uma história de crescimento".