RFID Noticias

Esperança de varejistas reside no BOPIS

Da sigla em inglês para "comprar online, buscar na loja", operação traz vantagens, quando usada com RFID, para garantir visibilidade e melhorar vendas

Por Claire Swedberg

3 de setembro de 2019 - As oportunidades para os varejistas estão melhores do que as notícias podem indicar, segundo Greg Buzek, presidente da empresa de pesquisa de varejo IHL Services. Quando ele palestrou no RFID Journal LIVE! Retail, no RetailX, em Chicago, Buzek tinha uma mensagem para os varejistas: aqueles que estão avançando são os que investiram em tecnologia, incluindo RFID. São eles que entenderam a importância dos modelos "comprar online, buscar na loja" (BOPIS) e que sabem oferecer uma boa experiência para os clientes que usam esse método de compra.

A RFID não pode resolver todos os problemas de inventário sozinha, explica Buzek, mas os varejistas que empregaram RFID estão obtendo benefícios significativos. "O que se resume é adotar a tecnologia para permanecer competitivo – ou ficar para trás", disse. As tecnologias adotadas, acrescentou, também incluem inteligência artificial, visão computacional e soluções de marketing móvel.

As estatísticas gerais do mercado de varejo podem ser enganosas, observou Buzek, tanto durante o LIVE! Retail e em uma entrevista por telefone subsequente. Ele citou o fator medo que preocupa alguns no varejo, porque as lojas estão com problemas. "Sempre fico impressionado com a desconexão entre o que vemos nas notícias e o que vemos na vida real", disse ele, acrescentando que, embora os relatórios com estatísticas do juízo final recebam cobertura de notícias, eles não contam toda a história.

"As notícias sobre o varejo nos dão uma visão de que o 'céu está caindo'", explica Buzek. "'Apocalipse de varejo' é um termo usado hoje", acrescenta, referindo-se a um relatório que alertou que mais 75.000 lojas deverão fechar em 2026 [nos Estados Unidos]. Há uma falha nessas estatísticas, argumenta, uma vez que os dados baseados nos pedidos do BOPIS estão sendo omitidos nos números de vendas de lojas físicas, e essa é a área de comércio eletrônico que mais cresce.

O futuro parece brilhante para os varejistas capazes de adotar vendas baseadas no BOPIS, de acordo com a pesquisa da IHL. Se há uma venda online, muitas vezes ainda é necessária uma loja física onde o produto possa ser coletado - e isso, disse, oferece aos varejistas uma oportunidade, mas apenas se tiverem uma boa precisão de estoque. Em vez disso, as estatísticas em um relatório mencionado por Buzek assumem que todo o crescimento do comércio eletrônico é para entrega diretamente a um cliente, não ao BOPIS ou "clique e colete".