RFID Noticias

Novo consórcio quer popularizar UWB

A tecnologia UWB, por sua natureza, é mais segura do que algumas outras tecnologias sem fio que empregam força de sinal para identificar uma etiqueta ou outro dispositivo, explica Songukrishnasamy. Essas transmissões baseadas na força do sinal (como NFC e RFID) podem ser interceptadas por um indivíduo entre uma etiqueta (como a embutida no chaveiro do carro) e um receptor (o sistema de travamento do carro, por exemplo) e amplificar o sinal para enganar o sistema, fazendo o chaveiro parecer mais próximo do veículo do que realmente. As empresas podem empregar criptografia para evitar esses ataques.

A tecnologia de banda ultralarga emprega análises de tempo de voo (ToF) para identificar a localização de cada tag. O receptor mede o tempo de resposta de uma etiqueta a um sinal e identifica a localização dessa etiqueta. Um ataque do tipo acima retardaria a resposta, dificultando a interceptação. Apesar disso, relata Songukrishnasamy, a UWB ainda pode ser mais segura. O consórcio espera alcançar maior segurança com um método padrão para criar um carimbo de data / hora embaralhado, dificultando a interceptação. "Gostaríamos de propor uma maneira padrão de criar esse carimbo de data / hora embaralhado para que ninguém possa interceptar a mensagem", afirma ele.

A UWB é usada para uma variedade de aplicativos, e a HID Global concentra-se predominantemente em soluções de controle de acesso para as quais são necessários dados de localização muito precisos, bem como em dispositivos como laptops e computadores de mesa protegidos. Quando os ativos estão sendo rastreados, a UWB fornece precisão de localização mais específica que as soluções RFID padrão, detectando, por exemplo, a sala ou parte de uma sala na qual um ativo está localizado, com base nas transmissões da etiqueta desse ativo. No entanto, Songukrishnasamy diz: "se você estiver realizando mais trocas de dados entre ativos e aparelhos, deseja garantir que a comunicação seja segura".

Com relação às soluções ponto a ponto, dois dispositivos UWB podem se localizar mesmo sem a necessidade de âncoras ou pontos de acesso fixos. Isso permite que as pessoas se encontrem facilmente em espaços lotados ou localizem itens mesmo quando colocados em áreas ocultas. Os grupos de trabalho do consórcio começaram a agendar reuniões para começar a definir o padrão de segurança. O próximo passo será contratar um laboratório de terceiros para certificar os novos produtos e soluções das empresas de tecnologia UWB.

De 8 a 12 de setembro, o consórcio terá um estande no Global Security Exchange (GSX), em Chicago, Illinois. O grupo pretende demonstrar a tecnologia UWB no estande da HID Global e, em seguida, ter presença em futuras feiras industriais. No futuro, diz Songukrishnasamy, o grupo espera atrair mais membros. "Estamos buscando ativamente mais participantes para construir o ecossistema", afirma, e envolver mais empresas no esforço de impulsionar a adoção da tecnologia UWB. "Neste momento, acreditamos que é necessário ter uma tecnologia melhor para criar uma experiência agradável para o usuário no controle de acesso" e outros aplicativos.

A HID Global, que fabrica produtos de identificação com segurança, pretende incorporar a tecnologia UWB em algumas de suas soluções no futuro. "A HID Global está constantemente procurando tecnologia para aprimorar a experiência do usuário", afirma Songukrishnasamy. "Assim que uma especificação para o FiRa é definida e publicada, estamos comprometidos em liberar produtos usando a tecnologia". As reuniões são realizadas pelo menos trimestralmente em locais rotativos em Mountain View, na Califórnia, e Busan, na Coréia, com sites europeus sendo adicionados este ano.