RFID Noticias

Empresas empregam sensores de umidade do solo

Os dispositivos são usados por agricultores, horticultores e paisagistas, para reduzir o consumo de água, necessidades químicas, combustível e mão-de-obra

Por Claire Swedberg

27 de agosto de 2019 - A empresa de soluções de umidade do solo Sensoterra está incrementando suas vendas de tecnologia baseada em LoRaWAN em parceria com a companhia de Internet das Coisas (IoT) Kerlink. Seus sensores sem fio medem e informam a umidade do solo e estão sendo fornecidos em maior número do que antes, globalmente. A Sensoterra já tem aproximadamente 5.000 sensores instalados em seus clientes de 22 países, mas precisou aumentar sua capacidade rapidamente, pois vários grandes clientes estão se preparando para adoções em grande escala, diz Christine Fraser-Boer, diretora de operações da Sensoterra,

A Sensoterra fabrica seu próprio hardware de sensor, gateway e oferece software para gerenciar os dados colhidos. Agora usará o design de referência da Kerlink para possibilitar a rápida construção de sensores LoRaWAN para clientes localizados em qualquer lugar do mundo. A empresa de sensores está usando seus sensores de umidade existentes, caixas de plástico e placas de circuito impresso; aproveitando circuitos do design de referência Kerlink para fazer novas placas de circuito; e otimizar e melhorar a antena. O uso do design de referência da Kerlink, diz Fraser-Boer, "ajuda a fornecer uma estratégia de entrada no mercado mais rápida", permitindo assim que os clientes tenham soluções totalmente maduras em suas mãos em um ritmo mais rápido.

Sensor Sensoterra sem fio
A Sensoterra, com sede em Amsterdã, é uma empresa de dois anos e meio que se concentra na inteligência de umidade do solo. Seus sensores sem fio, fixados no solo, utilizam a conectividade LoRaWAN para enviar leituras sobre os níveis de umidade do solo para um gateway, bem como para seu servidor hospedado, via 4G ou outra rede disponível. O software da empresa gerencia esses dados e pode fornecer alertas em tempo real e dados históricos para fins analíticos.

A Sensoterra inicialmente ofereceu suas soluções em uma base business-to-business, diz Fraser-Boer, com seus sistemas usados nos mercados industrial e agrícola. No entanto, a natureza global de seus clientes, que são baseados na Europa, América do Norte e Ásia, bem como os casos de múltiplos usos envolvidos, exigiram alguma personalização dos sensores. Os requisitos de frequência do LoRaWAN variam da União Europeia (863 a 870 ou 433 MHz) para os Estados Unidos (902 a 928 MHz). O design de referência da Kerlink pode acomodar todas essas frequências, de acordo com Guillaume Boisgontier, gerente de produtos inovadores e marketing de soluções da empresa.

"A Kerlink nos permite programar nosso software para uso com o mesmo produto base", afirma Fraser-Boer, não importa onde ele será usado em todo o mundo. Quando se trata de aplicações, os sensores da Sensorterra são empregados de várias maneiras. No mercado de horticultura, as empresas podem usá-las para rastrear os níveis de umidade do solo ao redor das árvores para permitir melhores decisões de irrigação, reduzindo assim a necessidade de excesso de água. Isso, por outro lado, garante que seja aplicada água suficiente.