RFID Noticias

Precisão de inventário é chave para sucesso no varejo

No RetailX, palestrantes mostram que controle em tempo real do que está em estoque depende de tecnologia e dará vantagem competitiva aos vencedores nos negócios

Por Edson Perin

27 de junho de 2019 - Na primeira palestra do segundo dia do RFID Journal LIVE! Retail @ RetailX, em Chicago, Greg Buzek, presidente do IHL Group, afirmou que "uma série de inovações que estão em avanço rápido no varejo, atualmente, dependem efetivamente de um controle adequado e preciso dos estoques de produtos". Para ele, os projetos de BOPIS (buy online pick-up in store ou compre online e busque na loja), por exemplo, dependem completamente de tecnologias que oferecem esta precisão.

A opinião de Buzek é compartilhada pelo especialista em tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) para o varejo, Dr. Bill Hardgrave, da Universidade de Auburn. Hardgrave afirma que sem precisão de inventário não é possível garantir a expansão dos negócios do varejo para onde os clientes estão exigindo e com o nível de qualidade de atendimento desejado.

Dr. Bill Hardgrave, da Universidade de Auburn
"A habilidade de aumentar vendas e ao mesmo tempo atingir os níveis de qualidade exigidos hoje demandam um controle efetivo de estoques por RFID, a melhor tecnologia para se atingir este nível crítico de precisão", disse Hardgrave. Perguntado sobre como os códigos de barras poderiam ser utilizados para garantir a eficiência do inventário, Bill Hardgrave explicou que o problema é que o acerto máximo possível nas contagens com códigos de barras é de longe inferior ao da RFID, que beira 100%.

Hardgrave também foi enfático ao dizer que os índices de acerto na contagem de produtos têm relação direta com o tipo de mercadoria a ser inventariada. "Não se pode garantir que produtos de classificação diferentes, como calçados e roupas, por exemplo, tenham o mesmo índice de acerto de leitura, pois as características de produtos, materiais, embalagens e até acessórios podem impactar nisto", acrescentando que – apesar disso – a RFID ainda mantém uma precisão próxima de 100%.

Considerando o cenário atual em que muitas vendas são feitas online, pela internet, Buzek, do IHL Group, trouxe à discussão que as pessoas hoje vão para as lojas físicas por duas razões principais: (1) porque querem o produto na hora ou (2) porque querem tocar o produto com suas próprias mãos ou obter alguma informação de alguém pessoalmente. "As lojas físicas estão perdendo clientes anualmente por problemas de manejo de estoques", afirmou, dizendo que isto pode ser revertido.