RFID Noticias

Vinícola Pinea torna garrafas de vinho conectadas

Com a solução ConnectedBottle, a companhia ajuda entusiastas e enólogos a confirmar a autenticidade de seus produtos e dá acesso a informações sobre as safras

Por Claire Swedberg

16 de maio de 2019 - Os produtores de vinho Hugo T. Del Pozzo e Vicente Pliego abriram uma vinícola que traz um suprimento limitado de vinhos de alta qualidade para um público seleto. A Pinea quer oferecer mais do que apenas um bom copo de vinho, como dizem: a empresa espera oferecer uma experiência que continuará trazendo clientes de volta.

Para atingir esse objetivo (além de fazer bons vinhos), a empresa implantou um sistema chamado ConnectedBottle, que consiste em uma tag NFC (Near Field Communication) em cada garrafa e um aplicativo com conteúdo que permite aos usuários tocar em seus smartphones perto da garrafa, confirmar que é autêntica e obter informações sobre o vinho, incluindo quando, onde e como foi produzido.

Vicente Pliego (esq.) e Hugo T. Del Pozzo
A experiência ConnectedBottle, provida pela empresa de sistemas para Internet das Coisas (Internet of Things ou IoT) EVRYTHNG, usa uma tag NFC com chip da Smartrac Circus e roda conteúdo digital da Taylor Wilco. Cada tag tem uma codificação única e exclusive, com número de ID (identificação) serializado para conectar todas as garrafas pela internet, com identidades fornecidas pela EVRYTHNG.

"Estamos visando muito, muito alto, para a nossa adega", diz Del Pozzo. Os vinhedos de Pinea oferecem o que ele chama de algumas das melhores uvas e, embora as preferências de vinho sejam uma escolha pessoal, acrescenta: "Queremos que as pessoas experimentem uma incrível quantidade de alegria quando bebem nosso vinho".

Por exemplo, as uvas no vinhedo Ribera del Duero da Pinea são selecionadas, cortadas e descascadas manualmente. A vinícola ganhou uma medalha de ouro no International Wine Challenge de 2019 e foi reconhecido pelo enólogo da revista Wine Spectator como uma das "mais brilhantes jovens produtoras de vinho da Espanha". Suas safras são uma produção limitada de 12.000 garrafas, com uma demanda que excede a oferta. As garrafas custam tipicamente US$ 150 cada, mas esse preço deve subir. À medida que o valor de produtos como o vinho aumenta, Del Pozzo diz que a pirataria também aumenta.