RFID Noticias

Drone com leitor UHF rastreia veículos e ativos

A FEIG Electronics fez uma parceria com a Tiger Labs e a Congruex para desenvolver um drone capaz de fazer leituras passivas de RFID

Por Claire Swedberg

22 de abril de 2019 - Várias empresas que gerenciam grandes volumes de veículos estão testando uma solução de drone baseada em RFID passiva que captura os identificadores de etiquetas UHF em veículos e encaminha esses dados a um servidor, seja em tempo real ou via Wi-Fi, por uma conexão após o drone ter completado seus voos. Os drones permitem que os usuários coletem dados sobre onde milhares de veículos estão localizados em grandes áreas, com uma precisão de cerca de 3 metros.

A solução é resultado de esforços colaborativos entre a empresa de RFID FEIG Electronics, a empresa de desenvolvimento de produtos eletrônicos Tiger Labs Corp. e a empresa de tecnologia de drones CCLD Technologies, de propriedade de Congruex. As três companhias são de Atlanta, nos EUA, e se uniram para criar uma solução habilitada para RFID para o mercado automotivo localizar e identificar automaticamente os veículos em grandes pátios a um custo relativamente baixo. As empresas exibiram a tecnologia resultante no evento RFID Journal LIVE! deste ano, realizado em Phoenix, nos EUA.

Drone habilitado para ler RFID
Inicialmente, a FEIG e seus parceiros de integração buscaram uma solução que fornecesse dados de inventário para a indústria automotiva, na qual produtos de alto valor (veículos novos) precisavam ser rastreados em grandes pátios ou lotes de armazenamento. Outros setores, como construção e utilidades, também precisam rastrear materiais ou produtos em lotes ao ar livre, diz Rob Ufford, representante de vendas da FEIG Electronics, que cita locais de construção de usinas como um caso de uso em que materiais de construção precisam ser localizados dentro de um pátio.

Em anos anteriores, a Ufford já havia desenvolvido soluções ativas baseadas em RFID para o National Institute of Hometown Security (NIHS), em apoio a um projeto com a Universidade de Kentucky para monitorar o estado de saúde do gado com base em seus movimentos diários. De fato, diz, a maioria dos drones de leitura RFID emprega RFID ativo, em parte porque os leitores podem ser menores e mais leves.

No entanto, acrescenta Ufford, a RFID ativa não é economicamente viável em casos como o rastreamento de veículos em uma grande áreas de armazenamento, já que as etiquetas são muito caras e dependem de baterias para operar. "Com o tamanho da área que você precisa cobrir e o volume dos veículos, faz mais sentido do ponto de vista econômico usar uma etiqueta descartável de baixo custo", diz, "então selecionamos uma tag RFID UHF passiva". Os parceiros estão usando o leitor MRU102 da FEIG com a antena polarizada circular da empresa, que pode ser montada em um drone.