RFID Noticias

Companhia desenvolve setores de pneus e agrícola

Empresas desses segmentos estão conduzindo testes de qualificação da tecnologia RFID passiva para controle de cabos elétricos e cordas, entre outros objetos

Por Claire Swedberg

2 de abril de 2019 - A empresa francesa de tecnologia Primo1D foi lançada em 2013 com o fio ativado por RFID, conhecido como E-Thread, para os mercados de vestuário e lavanderia. Atualmente, a empresa também atende a diferentes mercados que investigam como a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) pode ser incorporada a produtos ou ativos. Várias empresas estão testando sua tecnologia para aplicações, como a inserção de RFID em cordéis de feno para rastrear o produto desde a colheita até a alimentação animal, fabricação de fios ou cordas para as indústrias de petróleo e gás, e integrando a tecnologia em cabos elétricos.

Além disso, diz Alain Papanti, co-fundador e diretor de vendas e marketing da Primo1D, a empresa criou uma ferramenta industrial para fabricar a tecnologia, com capacidade de produção de cinco milhões de fios ou cabos habilitados para RFID. 20 milhões no próximo ano. Com os testes de qualificação mais recentes, a empresa está voltada para os tipos de produtos que não se prestaram à marcação de RFID no passado - como fios, cabos ou pneus agrícolas, por exemplo. "Esses são os casos de uso que estamos mirando", afirma. "As tags são duráveis, invisíveis e funcionam onde um inlay seria muito grande ou muito frágil".

Primo1D E-Thread
A Primo1D foi fundada em Grenoble para oferecer uma solução de RFID que pode ser tecida diretamente em tecidos ou rótulos. O fio consiste em um chip RFID UHF EPC conectado a duas antenas integradas em um thread, evitando assim a necessidade de um tag de papel pendurado e fornecendo permanência à funcionalidade RFID da peça ou item.

"O mercado de vestuário ainda faz parte da nossa base de clientes", diz Papanti, acrescentando: "Além disso, também estamos conversando com os participantes da indústria". Um dos passos importantes que a empresa está dando nessa direção, explica, é aumentar sua capacidade de produção. Aproximadamente dois anos atrás, a Primo1D começou a se reunir com empresas de diversos setores sobre como incorporar a tecnologia em itens que usam uma variedade de materiais. Por exemplo, a fabricante de pneus Michelin começou a trabalhar com a empresa para testar o uso de fios habilitados para RFID em pneus de borracha.

RFID, Papanti explica, é tipicamente aplicado na forma de rótulos, afixados nos lados dos pneus de caminhão, enquanto os pneus de carros tendem a ser muito pequenos para suportar uma etiqueta RFID adicionada. No entanto, algumas empresas estão procurando maneiras de permitir que fabricantes e proprietários de automóveis monitorem os pneus e acompanhem se os pneus dianteiros e traseiros estão montados nos locais corretos em um veículo.

Empresas como a Michelin estão, portanto, experimentando a construção de um leitor RFID UHF no trem de pouso de um veículo e integrando o E-Thread nos pneus de borracha. Uma vez que os pneus são montados no veículo, o ID da tag de cada pneu é capturado por esses leitores, juntamente com, potencialmente, sua localização. Os usuários podem armazenar ou encaminhar dados sobre onde cada pneu marcado está instalado, quando foi girado ou substituído, e há quanto tempo ele está na estrada.