RFID Noticias

Embalagem da China exporta RFID com baixo custo

O Baoshen Group está abrindo escritórios nos Estados Unidos e na Europa para oferecer dois novos produtos para autenticação e engajamento do consumidor

Por Claire Swedberg

12 de dezembro de 2018 - A BSN, empresa de RFID derivada da empresa chinesa Baoshen Group, está abrindo escritórios na Europa e nos Estados Unidos, com planos de expandir seu portfólio de soluções e aplicações RFID UHF e Near Field Communication (NFC) em toda a América do Norte, Europa, Pacífico e Japão. As vendas expandidas destinam-se a atender à crescente demanda por etiquetas e rótulos RFID UHF baseados em gerenciamento de inventário para os mercados varejistas de vestuário e calçados. A empresa também está oferecendo tags NFC para autenticação.

O Baoshen Group é uma empresa de embalagens com 1.600 funcionários e com capacidade para produzir um bilhão de etiquetas RFID por ano. Sua sede está localizada em Guangzhou, na China, onde desenvolve etiquetas RFID, software e chips. A empresa vem crescendo, com fábricas na cidade de Ho Chi Minhg e na cidade de Haiphong, no Vietnã, e seu desmembramento BSN está abrindo escritórios nos EUA e na Europa.

Como parte desse esforço, a BSN conta com talentos da RFID como Philip Calderbank, um consultor de RFID que anteriormente era o VP global de RFID da SML e trabalhou antes na Avery Dennison e na Impinj. "Na China", diz Calderbank, "a Baoshen está cada vez mais envolvida com a RFID e também subcontrata outras empresas de etiquetas, como a Avery Dennison".

A empresa está atualmente procurando escritórios nos Estados Unidos (provavelmente em Nova Jersey), bem como na Europa. A empresa planeja vender seus produtos diretamente aos clientes, principalmente marcas e varejistas, em vez de parceiros de canal. A BSN já fornece suas etiquetas RFID e produtos de acabamento para marcas como Zara, Ugh, Nike e Adidas, além de varejistas que incluem a Macy's.

O Baoshen Group também está procurando estabelecer agências de serviços para atender à necessidade de etiquetas RFID na América do Norte e Central. "Estamos nos movendo muito rápido", afirma Calderbank, acrescentando que trabalha com a empresa há aproximadamente três meses.