RFID Noticias

BNDES publica conteúdo integral do Plano IoT

No estudo, foram priorizados ambientes de aplicação com base em demanda, oferta e capacidade de desenvolvimento, em quatro frentes de trabalho: Cidades, Saúde, Rural e Indústrias. Em cada frente, foram definidos objetivos estratégicos, que identificam os desafios a serem solucionados pelo uso da IoT, gerando valor à sociedade.

Em Cidades: “Elevar a qualidade de vida nas cidades por meio da adoção de tecnologias e práticas que viabilizem a gestão integrada dos serviços para o cidadão e a melhoria da mobilidade, segurança pública e uso de recursos”.

Para Saúde: “Contribuir para a ampliação do acesso à saúde de qualidade no Brasil por meio da descentralização da atenção à saúde, da integração das informações dos pacientes e da melhoria de eficiência das unidades de saúde”.

No Meio Rural: “Aumentar a produtividade e a relevância do Brasil no comércio mundial de produtos agropecuários, com elevada qualidade e sustentabilidade socioambiental, e posicioná-lo como o maior exportador de soluções de IoT para agropecuária tropical”.

E na Manufatura: “Aumentar a produtividade da indústria local por processos fabris mais eficientes e flexíveis, da integração das cadeias produtivas, e do desenho de produtos e modelos de negócios de maior valor agregado”.

De modo a organizar as medidas a serem implantadas, diz o BNDES, foram estruturadas diversas iniciativas organizadas em quatro horizontais: (1) Capital humano, (2) Inovação e inserção internacional, (3) Infraestrutura de conectividade e interoperabilidade, (4) Regulatório, segurança e privacidade. Para cada horizontal, foi definida uma série de objetivos específicos.

A horizontal Capital humano contribuirá para que o Brasil capture o potencial de IoT enquanto beneficia diretamente a população. Seus objetivos específicos são: (1) ampliar a força de trabalho qualificada em IoT nos ambientes priorizados, com foco na demanda; (2) despertar o interesse dos jovens em IoT e tecnologias da informação e comunicação (TIC); (3) fortalecer o corpo de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e de engenharia para IoT em classe mundial; e (4) promover a capacitação de gestores públicos para IoT.

A horizontal Inovação e inserção internacional visa a permitir que o Brasil aumente sua representatividade internacional em IoT e se torne referência em aplicações-chave. Seus objetivos específicos são: (1) estimular a experimentação, cooperação e disseminação de modelos de negócio bem-sucedidos; (2) aperfeiçoar e divulgar instrumentos de financiamento e fomento para instituições de pesquisa científica e tecnológica (ICTs) e empresas inovadoras; (3) construir ambiente para monitoramento contínuo e participativo do Plano de IoT; e (4) internacionalizar soluções locais em consonância com padrões globais e interoperáveis.