RFID Noticias

Biomecanica reduz em nove vezes o tempo de expedição

”O principal desafio no projeto da Biomecanica foi o tipo de material a ser lido, pois toda a linha de produto contém 100% de metal em sua composição”, explicou Gambim. Além disso, teríamos que ler os itens em vários momentos do processo, o que tornaria ainda mais desafiante as questões envolvendo leituras de tags”.

Como os vários modelos de produtos contém metal em sua estrutura, depois de faturados e embalados, estes ficam todos misturados e acondicionados juntos, dentro do menor volume possível por conta do valor do frete. “Esse foi o principal foco da iTAG”, completa Gambim. “Passar ao cliente a certeza de que será feita a leitura de 100% dos casos de leitura de itens lacrados é outra conquista”.

De acordo com o CEO da iTag, o único item que necessitou de uma atenção especial foi o Fio de Haste, que passa por um controle de kit para sua multiplicação. “Depois de uma análise completa do processo”, afirma, “notamos que o êxito também se deu pelos recursos disponíveis no chip EM 4124”.

Gambim aponta outros benefícios que a RFID poderá trazer para o cliente. “Nós iremos encontrar no desenvolvimento do projeto valores tangíveis e os intangíveis, creio que a segunda etapa que irá controlar a parte da produção e controle de distribuidores, usando a bolha do EPCIs, irá trazer para a empresa as tomadas de decisão e rastreabilidade necessárias para administrar as informações com a velocidade exigida pelo mercado”.

“Nosso próximo passo é levar aos 300 distribuidores da Biomecanica um canal direto de garantia de produtos, com selo de originalidade sendo oferecido pelo EPC e reposição de estoque em tempo real, para agilizar as vendas e o controle de FIFO [acrônimo para First In, First Out, que em português significa primeiro a entrar, primeiro a sair]”.