RFID Noticias

Quer pedir uma pizza? Bata três vezes na parede

O Knocki também oferece um aplicativo par telefones móveis que pode ser usado para programar o dispositivo. O aplicativo móvel funciona com Wi-Fi para se conectar à unidade Knocki ou uma conexão de rede celular para definir ou modificar funções no servidor. O aplicativo também executa funções específicas para um dispositivo móvel, como fazer um smartphone soar um alarme se o seu utilizador bater um padrão definido associado à função de descobrir um telefone desaparecido.

O Knocki custa US$59 e já está disponível para pré-encomendas com entrega prevista para o primeiro trimestre do próximo ano, apenas nos Estados Unidos. É um caminho para a casa inteligente que Boshernitzan e sua parceira, Ohad Nezer, planejaram três anos atrás. Quando fundaram a Swan Solutions, focaram na criação de uma espécie de Fitbit para cama, mas com funcionalidades adicionais.

O Knocki detecta com segurança uma batida em madeira ou drywall
Ao integrar sensores diretamente em roupas de cama, um sistema seria capaz de rastrear os movimentos de um usuário dormindi para, em seguida, enviá-los para algum tipo de aplicativo que permitiria controlar a quantidade e qualidade de suas horas de sono. Além disso, previram um meio de transformar esses tecidos em uma interface de usuário, na qual seria possível usar as mãos para "escrever" comandos. Assim, uma aplicação potencial seria acordar e passar a mão nos lençóis para ligar a máquina de café na cozinha.

A Swan Solutions descreve como o tal sistema funcionaria em patentes, assim como a que descreve o sistema Knocki. A dupla decidiu seguir em frente com o conceito Knocki após realizar um focus group. "A resposta foi fenomenal", relata Boshernitzan, dizendo que, depois de analisar o Clapper e aprender que ainda é um produto viável, ficaram animados. "Isso nos deu um bom palpite de que nós teríamos sucesso lançando o Knocki".

"Nós ainda vamos fazer a aplicação para roupas de cama", diz Boshernitzan. "Temos a propriedade intelectual e podemos licenciar a tecnologia para uso no setor médico, como uma forma de os pacientes em lares de idosos, por exemplo, chamarem uma pessoa da equipe de atendimento. Seria um jeito de substituir os botões de chamada utilizados hoje", explica ele.