RFID Noticias

Solução reduz extravio de amostras de minerais

A Weatherford está usando leitores portáteis Motorola MC9190Z and MC3190Z e etiquetas de poliéster personalizadas da JPL (anexadas a recipientes de amostra não-metálicos), feitos com inlays Alien Technology Squiggle H3. Para recipientes de amostra compostos por metal, a empresa está usando sobre etiquetas metálicas a Metalcraft Universal Mini. As tags estão sendo impressas em uma impressora Zebra Technologies RZ400.

A fornecedora de tecnologia RFID JPL está localizada próxima da Weatherford, nos Estados Unidos. A empresa, fundada em 2010, oferece tanto sistemas baseados em código de barras como RFID para controle de estoque na indústria de petróleo e gás, explica Jason Pitcock, fundador da companhia e CEO. A JPL RFID oferece Pipeline Track, uma solução para a gestão dos movimentos de tubos em locais de poços de petróleo e canteiros de obras, e também desenvolveu o sistema Offshore para monitorar ativos no exterior. Isto envolveu mudar a terminologia, afirma Johnston, de modo a acomodar os tipos de variáveis encontrados entre os diferentes tipos de amostras. A Weatherford chama o software modificado de RockTrac.

Sara Johnston
A JPL RFID teve de personalizar as etiquetas, a fim de assegurar que poderiam suportar o ambiente severo da plataforma de petróleo e ainda serem lidas mesmo se manchadas com petróleo bruto ou algum outro material. A tarefa consistiu em encapar o marcador numa tampa de poliéster. A JPL trabalhou em conjunto com a Weatherford para identificar a melhor localização para afixar as etiquetas em cada item, assim como a melhor orientação, de modo que pudessem ser interrogadas em um ambiente úmido contendo metal. Entre 300 e 1.500 cilindros de metal de 12 polegadas de comprimento usados para capturar e armazenar gases de teste, por exemplo, podem ser embalados em comum em um contêiner único.

Em primeiro lugar, as tags são impressas e digitalizadas no sistema, para vinculá-las com descrições de cada tipo de recipiente (principalmente sacos de pano, cilindros de metal e frascos de plástico). Os recipientes são então embalados em caixas de papelão carregadas em um contêiner maior. As tags são interrogadas usando as unidades de mão antes da saída do armazém da Weatherford. O software no computador de mão captura os dados de leitura e encaminha para o servidor baseado em nuvem através de uma conexão Wi-Fi, atualizando, assim, o status de cada recipiente para indicar que está a caminho do local de perfuração offshore.

Além disso, os rótulos são anexados nas caixas de papelão, assim como para os recipientes de transporte, e esses números de identificação das tags são casados com as identificações de todos os recipientes vazios. Dessa forma, quando uma tag de contêiner é lida, todas as outras IDs de tag são automaticamente incluídas na atualização do software.

Quando chegam na plataforma de petróleo, os recipientes de amostra são removidos do contêiner de transporte. O pessoal de campo na plataforma lê as IDs de tag usando outra unidade portátil, a fim de atualizar o software baseado em nuvem sobre o recebimento. Como não há acesso Wi-Fi a bordo do navio, os dados são armazenados no software e submetidos por uma conexão Wi-Fi quando disponível.