RFID Noticias

Beacons geram serviços e informações em parques

O zoológico vai começar a instalar uma série de beacons, afirma Hilliard. "Com mais balizas, nós podemos fornecer mais informações", diz ela, lembrando aos visitantes que o show de pássaros ou programa de treinamento de elefante começará em 15 minutos, bem como proporcionando a rota para ir a pé. Com base em dados que indicam onde as pessoas se aglomeram, os gerentes também podem enviar mensagens para redistribuir o fluxo de tráfego.

O SeaWorld lançou sua app em todos os seus três locais, em fevereiro, e envia informações sobre o parque para os smartphones dos visitantes pelo aplicativo. Ele também oferece uma caçada e um mapa que indica o caminho mais fácil para um local específico, com base na posição de um usuário dentro do parque. Em novembro, diz Morse, o SeaWorld começou a instalar beacons em seu parque de Orlando, bem como o software TE2 Mission Control para enviar dados diretamente para o aplicativo Guia Discovery.

Kait Hilliard
Até o momento, diz Morse, duas dezenas de beacons se concentram em torno de áreas de mercadorias no SeaWorld Orlando, embora espere que eles também sejam usados em exposições no futuro. Ela diz que empregados nos restaurantes ou lojas podem usar o software Mission Control para alterar os dados que são enviados para os telefones baseados em, por exemplo, a hora do dia ou o tipo de alimento a ser servido.

Este ano, diz Morse, ela espera continuar a experimentar o sistema beacon TE2 e expandir o uso para incluir exposições. Se a tecnologia funcionar bem em Orlando, os beacons também serão instalados em outros parques temáticos da empresa, como o SeaWorld San Diego e SeaWorld San Antonio. Usar os beacons Bluetooth para oferecer informações personalizadas a um aplicativo de smartphone, relata, é uma maneira de dar aos visitantes o que eles querem.

A TE2 está atualmente em conversações com outras empresas de parques temáticos, navios de cruzeiro e estádios, diz Sahadi, assim como muitas diferentes empresas, tais como escolas, que estão interessados no fornecimento de dados baseados em localização para os clientes (ou estudantes). Outras empresas, diz ele, também estão interessadas em testar a tecnologia para fornecer ofertas promocionais para os consumidores.