RFID Noticias

Pandoor abre porta para automação

A empresa testou vários leitores e, em seguida, contatou a Tadbik para solicitar etiquetas RFID que atendessem às exigências da aplicação. A Tadbik escolheu um rótulo de plástico com adesivo forte que ainda iria se descolar da porta sem deixar marca, quando a produção fosse concluída, explica Michal Yanuv Max, gerente de vendas e marketing da divisão de RFID da Tadbik. Cada etiqueta contém um Smartrac ShortDipole tag com um chip Impinj Monza 4QT codificado com um número de identificação único associado com o cliente que encomendou aquela porta. O rótulo também armazena detalhes sobre as exigências do projeto, incluindo outros componentes que serão necessários, tais como parafusos, dobradiças e vidro.

Quando a Pandoor queria aplicar etiquetas RFID em alguns de seus produtos, diz Max, a empresa encontrou um problema com a impressora que usava para codificação. A impressora tinha limitações para acomodar e codificar rótulos estreitos. A Tadbik concebeu, então, uma solução que envolve um tipo de etiqueta que acomoda dois tamanhos. Isto permite que a Pandoor use a mesma impressora para codificar e imprimir a etiqueta em qualquer formato, estreito ou largo.

Anatoly Vays
"Na fábrica original", afirma Vays, "o trabalho é feito manualmente, incluindo a pintura, mas desde que se mudou para a fábrica de Kiryat Gat, todo o trabalho é feito automaticamente."

A fábrica tem duas linhas de produção com RFID para encaminhamento e personalização de portas. Quando uma ordem (pedido) é recebida, uma impressora RFID Intermec [agora Honeywell] codifica uma etiqueta RFID com um número de identificação único e dados sobre esta ordem, incluindo instruções para o roteador automatizado. Os membros da equipe colocam o rótulo na prancha de madeira que será usada para fazer a porta. Uma pilha de tábuas marcadas é, então, enviada para as linhas de produção com RFID, onde um braço robótico pega cada peça inacabada de madeira da pilha e a coloca em uma transportadora, que move essa prancha para uma máquina de roteamento.

O leitor Feig Electronics MRU 200, instalado ao lado da transportadora, capta o ID de cada tag e envia essa informação ao software RFID e depois para o sistema de gestão empresarial (ERP), atualizando assim o status do pedido. As especificações das portas também são encaminhadas para o roteador. Vays desenvolveu o software RFID e trabalhou com o engenheiro de cada empresa de roteamento, juntamente com o engenheiro do leitor RFID da Feig, para garantir que os dados RFID se integrem perfeitamente com o sistema de ERP, que, por sua vez, se comunica com o sistema de roteamento.