RFID Noticias

RFID sustenta promoção de Trident no varejo

O projeto, por enquanto, é piloto – afirma Silber – e está sendo analisado a medida em que é implementado. “Nossa ambição é ampliar a distribuição da tecnologia, impactando mais consumidores e colaborando com mais estabelecimentos que vendem Trident". No cadastro do cliente, as informações obtidas são sexo, idade, telefone e email.

Daniel Silber, da Trident
Com a iniciativa, a marca espera que os consumidores que comprarem sua goma de mascar possam arrecadar mais pontos para trocar por benefícios nos estabelecimentos universitários. Ao apoiar o uso do beacon no Brasil, Silber tem como meta reforçar o posicionamento de Trident como marca que busca novas maneiras de se aproximar dos consumidores e interagir com eles de maneira criativa.

Na opinião de Brugnara, o beacon está transformando o smartphone em um aparelho ainda mais inteligente. "O celular deixou de ser cego. O celular começou a tatear o local onde está", diz ele. "A Collact foi concebida como empresa que realiza programas de relacionamento para comerciantes e clientes; e o beacon tem o poder de relacionar as pessoas", afirma. "Por isso, desenvolvemos um software para entender o sinal dos beacons no protocolo BLE Bluetooth 4.0".

"O sistema funciona assim", descreve Brugnara: "o beacon 1 da lanchonete 5 está transmitindo uma mensagem A. O aparelho está o tempo todo transmitindo isso. Quando o celular do cliente se aproxima, se comunica com o aplicativo, e o aplicativo envia informações para o nosso banco de dados, remotamente. Sabemos então o nome do usuário e se ele tem direito a ganhar algum prêmio".

Bernardo Brugnara, da Collact
O objetivo da ferramenta é realizar as promoções, facilitar a comunicação com clientes e aumentar o faturamento do comércio com a tecnologia. "No momento em que o cliente abre o aplicativo da Collact no ponto de venda", diz Brugnara, "já enviamos a informação para o site do estabelecimento". Assim, de acordo com o empresário, o beacon promove as vendas. "Quando o aluno entra para lanchar na faculdade, esta é a hora em que Trident mais gostaria de ser oferecido para o consumidor comprar. Então, o estabelecimento pode mandar uma notificação para a pessoa, chamando-a para a compra".

A Colact cobra mensalidade de R$ 150 por estabelecimento pelo uso da ferramenta. "A Trident não cobra isso do estabelecimento e, como permite o uso da solução, pode garantir que a cantina esteja sempre abastecida [com a goma de mascar]".