RFID Noticias

Empresa rastreia ativos e protege propriedade intelectual

No entanto, a Applied Materials exige maior granularidade para identificar não apenas a sala em que um ativo foi localizado, mas também o rack e prateleira específicos. Portanto, a TagIt aplicou tags passivas RFID UHF para identificação de racks e estantes. O número de identificação codificado para cada marca tag é armazenado no software para indicar o local específico.

"O acompanhamento disto paga por toda a infraestrutura", disse Saigal, uma vez que poupa a empresa de ter de encomendar peças para substituição quando outras ainda podem ser usadas, mas não eram localizadas.

Dinesh Saigal, da Applied Materials
Para os ativos mais críticos, a TagIt instalou a solução RTLS baseada em Wi-Fi. Neste caso, uma tag RTLS é aplicada a cada item que já tem uma tag RFID UHF passiva para fornecer dados em tempo real dentro de seções específicas de salas. A Applied Materials tem uma rede Wi-Fi no local, provida pela Aruba Networks. As tags transmitem diretamente a essa rede Wi-Fi e o sistema da Aruba encaminha as coordenadas X e Y para o software de localização da TagIt. Isto pode ser útil para rastrear a propriedade intelectual, uma vez que garante que cada wafer de silício de clientes esteja livre de ser extraviado ou confundido com o de outro cliente.

A tecnologia pode ser usada para localizar rapidamente os equipamentos que devem ser testados para calibração. Além do mais, os trabalhadores podem dar entradas referentes a cada procedimento de teste de calibração e armazenar o número de identificação na etiqueta do item.

Saigal afirma que, embora a tecnologia requeira pouca intervenção humana, alguém em uma empresa deve tomar posse da solução e gerenciar sua operação e os dados fornecidos pelo software. "Você precisa de alguém para supervisionar o sistema", afirmou.