RFID Noticias

Nemak rastreia produção de moldes para blocos de motor

Junto de cada portador há uma tag RFID de alta freqüência (HF), com 13.56 MHz, e Balluff compatível com a norma ISO 15693, com 2 kilobits de memória. O número de identificação da tag é interrogado pelo primeiro dos 18 leitores Balluff BIS V ao longo da linha de montagem, criando assim um registo que será, então, relacionado ao molde a ser criado.

Em cada estação, A RFID tag operadora é lida. O sistema procede então com a etapa seguinte do processo de fabrico e os dados de sensores adicionais são escritos na tag. Quando o molde atinge o fim da linha de montagem, a tag do transportador é lida, quando o sistema determina se há qualquer erro de escrita relatado nesta. Se houver algum, a linha de montagem desliga e alerta o pessoal da fábrica. Os funcionários podem, então, descartar o molde ou enviá-lo de volta. Além disso, o pessoal pode verificar a máquina na estação em que o erro ocorreu, a fim de assegurar que o problema não se repita.

Em cada estação de trabalho, a antena de leitura RFID, montada no chão de fábrica, interroga o número de identificação da tag e a codifica com informação relacionada ao trabalho realizado em cada estação

Nesta estação final, os dados gravados na etiqueta RFID da transportadora são armazenados no sistema de back-end da Nemak e estão ligados ao número de série do molde. A tag é então apagada e reutilizada para a fabricação de outro molde de bloco de motor.

"Sabemos que não estamos enviando um produto ruim para o cliente", Fortier afirma, acrescentando que o sistema fornece um registro automatizado em relação à montagem de molde de cada bloco, de modo que no caso de um recall, a empresa pode determinar o que ocorreu durante a montagem, bem como outros artigos que foram montados simultaneamente. Ainda este ano, a Nemak pretende abrir uma nova linha de montagem com a mesma tecnologia.

O próximo passo da Nemak, diz Fortier, é encontrar uma maneira para acompanhar o molde após a linha de montagem. Quando o molde deixa a linha, é preenchido com alumínio fundido para criar o bloco do motor. Quando o alumínio endurece, a mistura de areia e resina é cozida fora em um forno e o bloco é limpo. No entanto, observa, a Nemak ainda não foi capaz de identificar uma tag RFID que possa sobreviver às altas temperaturas do forno, que variam de 400 graus a 500 graus Celsius.