RFID Noticias

Fábrica de caminhões Daimler incrementa produtividade

A PINC instalou seu sistema de gerenciamento de pátio, conhecido como Yard Hound (cão farejador de quintal), em dezembro de 2012, e iniciou a operação em março deste ano. Quando um caminhão chega ao portão, o motorista entrega a papelada sobre a carga transportada e o número de identificação do reboque. Na entrada, as informações são inseridas no sistema e relacionadas ao número de identificação da tag passiva EPC Gen 2 UH, da Omni-ID, que está presa à parte frontal do reboque por meio de um invólucro magnético. O motorista então passa com o reboque leitor fixo Motorola FX9500 montado perto do portão, onde se lê o número ID da tag do reboque e o encaminha para o servidor onde está instalado o software da PINC.

Quando um reboque vazio deixa a instalação, a tag é novamente interrogada pelo leitor fixo e, em seguida, o porteiro remove a etiqueta para que o reboque possa ser removido do pátio.

Cada um dos caminhões da instalação, também conhecidos como mulas, está equipado com um leitor FX9500, bem como antenas RFID, um tablet Panasonic Toughbook baseado em Linux, uma unidade GPS e um transmissor celular 4G para enviar dados para o servidor da PINC.

A DTNA transmite uma lista de tarefas para o computador, incluindo a localização do reboque para ser retirado, bem como onde deve ser depositado. A antena RFID nas parte posterior da mula captura o número ID da tag do reboque e encaminha essa informação para o software, que atualiza o status do reboque. O software também recebe dados de localização baseados em GPS, indicando sua localização exata no pátio. O motorista segue as instruções em seu computador sobre o destino do trailer e através do pátio. Estas identificações são combinadas com os dados do GPS, e transmitidas para o software de back-end, atualizando a localização de cada reboque estacionado.

A solução foi relativamente simples de implantar, relata Flores, acrescentando que a PINC foi capaz de instalar o sistema sem a necessidade de servidores adicionais e com infraestrutura Wi-Fi gratuito. "Eles nos fizeram seis perguntas", diz ele, que incluíam quantos pontos de reboque a instalação tinha e o número de tags a serem utilizadas.