Notas do Editor

BOPIS pode impulsionar a adoção de RFID no varejo

"Comprar online, pegar na loja" (BOPIS) está se tornando cada vez mais comum e exige que os varejistas tenham dados precisos sobre o estoque

Por Mark Roberti

9 de maio de 2019 - Cada vez mais os varejistas estão oferecendo aos clientes a opção de comprar itens online e buscá-los nas lojas. Isso é conhecido como BOPIS (do inglês, buy online, pick up in store) nos Estados Unidos e "clique e colete" na Europa. De acordo com dados publicados pela CommonSense Robotics, o número de locais que oferecem BOPIS quase dobrou entre os principais varejistas de supermercados dos Estados Unidos em janeiro de 2019, para 5.800 lojas, de 2.451 no mês anterior. E um estudo de fevereiro de 2019 da Periscope By McKinsey descobriu que 78% dos consumidores norte-americanos pesquisados comprariam itens online ou definitivamente e os buscariam nas lojas.

O problema para os varejistas é que, à medida em que mesclam seus canais online e de lojas físicas, a necessidade de inventário de estoque preciso em tempo quase real aumenta drasticamente. Os varejistas não podem decepcionar os compradores por não terem produtos quando os clientes forem buscá-los.

Alguns varejistas tentam evitar esse problema escondendo inventários de clientes online. Se eles não tiverem pelo menos três ou quatro unidades de um produto disponíveis no local de uma loja local do cliente, eles não mostrarão ao cliente esse item, simplesmente porque não têm confiança na exatidão de seu inventário. Talvez haja apenas uma unidade e ela será vendida antes de ser escolhida para o cliente on-line. O problema com isso é que o varejista perde vendas.

Alguns varejistas estão percebendo o quão ruim é a precisão do inventário, pois recebem reclamações de clientes que chegam para pegar itens, apenas para serem informados: "Desculpe, não temos isso em estoque". O varejista acaba tendo que despachar a mercadoria para o cliente, o que reduz a margem dessa venda e deixa o cliente insatisfeito por ter desperdiçado uma viagem até a loja e depois ter que esperar o produto chegar.

O Dr. Bill Hardgrave, da Universidade de Auburn, que é vice-presidente sênior de assuntos acadêmicos e o maior especialista do mundo no uso de identificação por radiofrequência no varejo, apresentará dados no RFID Journal LIVE! Retail @ RetailX com relação à execução de pedidos por BOPIS. Hardgrave disse que os varejistas estão com dificuldades para encontrar todos os itens solicitados no momento em que um cliente chega em sua loja e o Laboratório RFID de Auburn realizou pesquisas sobre a gravidade do problema.

À medida que o BOPIS aumenta de popularidade e que mais varejistas começam a enviar itens das lojas, prometendo entregas no mesmo dia, os problemas de estoque se tornarão ainda mais sérios. Eu acho que este será o motivo que levará os varejistas a adotar RFID em larga escala. Você simplesmente não pode executar uma verdadeira estratégia única de canal sem saber exatamente o que você tem no estoque e onde está localizado, em tempo quase real.

Ou talvez os varejistas continuem a ocultar o estoque dos clientes. Qual estratégia você acha que vai ganhar no mercado?

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »