Notas do Editor

Tecnologia serve para melhorar os negócios

As empresas mais bem-sucedidas – tanto entre as usuárias de RFID como as implantadoras da tecnologia – sabem investigar e descobrir mudanças nos processos

Por Edson Perin

28 de fevereiro de 2019 - Todas as vezes que me chamam para dar uma palestra sobre tecnologias aplicadas nos negócios, especificamente sobre identificação por radiofrequência (RFID) e Internet das Coisas (IoT), que são os temas que estudo em profundidade há mais de 20 anos, costumo dizer que temos de pensar em processos. Nenhuma tecnologia pode fazer a diferença se não for considerada uma ampla simplificação em processos de negócios.

Mas o que significa fazer a diferença? Independente do setor em que se atua, seja varejo, saúde, manufatura ou agropecuária, fazer a diferença representa, no final de cada ciclo de negócios, redução de custos ou aumento de ganhos. Em outras palavras, fazer a diferença leva a aumentar o volume de dinheiro acumulado por uma companhia após a conclusão dos processos de negócios.

Nesta semana, um executivo de uma grande companhia multinacional fornecedora de tecnologia RFID me telefonou para contar sobre o que descobriu a respeito dos melhores projetos que têm sido desenvolvidos pelas empresas parceiras com as quais trabalha. "Perin, notei que os caras que mais fazem projetos interessantes e bem-sucedidos são os que entendem bem as necessidades dos clientes".

O executivo apresentou vários exemplos de pilotos e cases em andamento, que em breve serão apresentados em forma de matérias em nosso site, focados em negócios, mais do que tecnologia pura e simples. Ou seja, as empresas que realmente fazem a RFID entregar os melhores resultados são aquelas que focam em resolver problemas de negócios, independente da tecnologia.

Tenho constatado o que ele me disse há vários anos e coroei este conhecimento especialmente quando editei o livro "TI para Negócios 2 – Análise de Negócios", da engenheira e consultora brasileira Suzandeise Thomé, do MIT, que diz que o emprego da tecnologia tem de ser sempre questionado, independente do quão maravilhosa, encantadora e revolucionária aparente ser a ferramenta de Tecnologia da Informação (TI) em questão.

Trocando em miúdos, por mais que a tecnologia seja fantástica, temos de avaliar de tempos em tempos se não estamos focando nosso pensamento de modo excessivamente centrado na solução a ser implantada e não no problema a ser resolvido. Ou seja, modificar e atualizar os processos de negócios têm sempre de estar em primeiro plano.

Edson Perin é editor do RFID Journal Brasil e fundador da Netpress Editora.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »