Notas do Editor

Qual é o futuro do varejo?

Pode parecer óbvio, né? Mas, até agora, apenas um punhado de revendedores convencionais está fazendo isso.

A última coisa que eu faria é alavancar a única coisa que os revendedores online não oferecem frequentemente: associados de vendas úteis. Nos Estados Unidos, pelo menos, os varejistas viram as pessoas como um custo a ser minimizado. Eu pagaria mais trabalhadores e os treinaria para serem úteis.

Alguns anos atrás, fui à Bloomingdale's para comprar um blazer novo para usar no RFID Journal LIVE!. O cavalheiro do departamento masculino que me ajudou era mais velho e claramente trabalhou no varejo durante toda a vida. Ele conhecia o inventário. Eu escolhi alguns paletós que gostei, e ele me ajudou a escolher aquele que parecia melhor em mim. Ele me ajudou a encontrar uma camisa e uma calça que combinavam, e eu deixei a loja me sentindo bem. Voltei no ano seguinte para comprar outro blazer.

Aqui está a coisa que muitas empresas estão esquecendo: as pessoas têm dúvidas. Muitas vezes, você gasta muito tempo online tentando determinar se um produto é o ideal para o que você precisa. Isso é inconveniente e ineficiente. Se os clientes pudessem ir a uma loja sabendo que receberiam respostas à sua pergunta e chegassem em casa com o produto certo, elas iriam mais às lojas. E quando vão às lojas, geralmente compram coisas que não esperavam comprar.

Então, na minha opinião, pela forma como os varejistas do mundo físico competem precisam da tecnologia para combinar a conveniência do varejo online e oferecer conhecimentos que os algoritmos online não podem oferecer.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal