RFID Estudos de Caso

Fabricante de janelas e portas duplica produção com RFID

Para eliminar este processo moroso, a Idealcombi investiu em uma nova solução de gestão da produção automatizado que poderia direcionar as máquinas para definir os ajustes automaticamente, de acordo com cada pedido. Para isso, no entanto, a empresa necessitava de um sistema RFID para identificar cada janela ou porta que chegava em cada máquina. Em 2010, a Prosign RFID instalou 20 leitores ALR-8800 e ALR-9900 da Alien Technology perto das máquinas ou em pontos de entrada e saída de zonas em que produtos não acabados são armazenados.

Agora, quando a Idealcombi recebe uma encomenda de um cliente para um determinado item, um trabalhador atribui uma tag RFID passiva EPC Gen 2 a uma moldura – normalmente no lado interior de um painel de madeira na estrutura. No software RFID Prosign, residente na base de dados da Idealcombi, o número da etiqueta de identificação se relaciona ao número do pedido e aos requisitos de configuração para todas as máquinas através do qual o item solicitado vai passar. Com base no que está no ID, as instruções de ajuste adequadas são, então, enviadas para a máquina, através de uma ligação com fios entre um PC ou controlador lógico programável.

Michael Jensen , da Prosign
Para as estações em que o trabalho manual especial deve ser executado em um item específico, os funcionários utilizam leitores portáteis Feig Electronic ID ESC.PRHD 102. Nesse caso, os handhelds fazem uma conexão Bluetooth com um PC que captura dados sobre qual item foi processado, bem como o que foi feito com ele.

O sistema RFID, diz Burland, "nos dá a capacidade de racionalizar a produção, reduzir o manuseamento e carregar automaticamente as configurações da máquina".