RFID Estudos de Caso

Universidade controla força de trabalho em três campi

O departamento começou a explorar o uso da tecnologia para inspeções de habitação estudantil, bem como para segurança e programação de trabalhadores. "Há tantos usos para este sistema que você poderia continuar explorando-o cada vez mais", diz Shaw. Em vez disso, o departamento decidiu parar de se expandir no campus principal e implantar a tecnologia nos outros dois campi usando o sistema para os serviços de limpeza, inspeção, segurança e seleção. No futuro, no entanto, a universidade planeja continuar buscando casos de uso adicionais.

O sistema consiste em tags NFC implantadas em locais-chave, incluindo cada banheiro e dormitório. Existem 1.800 dormitórios em todos os três campi, bem como 380 banheiros. Cada membro da equipe recebe um smartphone habilitado para NFC no início de seu turno e esse telefone está associado a cada funcionário. Um trabalhador pode tocar o telefone contra o seu cartão de login pessoal para confirmar que está começando uma rotina. Os membros da equipe podem ver a lista de salas ou locais que precisam inspecionar ou atender, pelo aplicativo SmartTask. À medida que seguem o roteiro, podem tocar o smartphone contra tgas NFC em cada local onde realizam seu trabalho.

Sandy Shaw
O número de identificação exclusivo é emparelhado com um local específico, como um número de banheiro ou dormitório, diz Paul Ridden, CEO da Skillweb. Os dados do GPS no telefone fornecem mais detalhes relacionados à localização do usuário, explica.

No caso de inspeções no dormitório, os alunos desocupam seus quartos no final de cada ano letivo e duas equipes de inspetores passam pelas salas. O primeiro grupo determina onde há um bem perdido ou danificado, enquanto o segundo conduz uma inspeção mais detalhada, pois estes cuidadores passam um pente fino em toda sala em busca de necessidades específicas de manutenção ou substituição e também avaliam a quantidade da limpeza. Tradicionalmente, as inspeções eram realizadas manualmente, a caneta e papel. Com o sistema SmartTask, o processo foi automatizado.

O funcionário que entra em cada sala deve tocar o telefone na tag, solicitando que o aplicativo abra uma lista de check-out. O trabalhador pode então indicar a condição de cada item, como camas e mesas, e indicar quaisquer requisitos de manutenção, bem como tirar fotos para serem armazenadas com esse relatório. Esta pessoa também pode indicar se um colchão ou outro item precisa ser substituído. O segundo nível de inspeção ocorre com cuidadores, usando a mesma tecnologia, mas uma lista detalhada de tarefas.

Todos os detalhes fornecidos são armazenados no software SmartTask que reside em um servidor baseado em nuvem. O escritório possui um registro atualizado do que precisa ser feito em cada um dos seus vários quartos, bem como o que o inventário de substituição precisa ser encomendado. "A função de cuidar teve o impacto mais benéfico no que fazemos", diz Shaw.