RFID Estudos de Caso

Investimento de hospital atinge um saudável retorno

A equipe decidiu primeiro habilitar RFID na sala de armazenamento, fora de uma das principais áreas operacionais do hospital. "Priorizamos onde teríamos o maior retorno para os investimentos, a partir de uma perspectiva em dólar, relacionadas com a oferta de custo", diz Stepien. Juntas de quadril e joelho e outros implantes ortopédicos, acrescenta, são "itens de alto valor em dólar e não se quer perder ou pagar uma taxa sobre".

Um quiosque check-out foi instalado na sala de armazenamento, equipado com leitores e antenas AWID e leitores de cartões RF Ideias. Além disso, diz Bill Sharp, fundador da ARC Healthcare Technologies, um portal foi instalado com um leitor Impinj e uma antena Times-7, essencialmente como backup, "para verificar se algo não tinha sido marcado de forma adequada".

Brian Stepien
Quando os suprimentos chegam ao hospital, o código de barras de cada item é escaneado e esses dados, incluindo os lotes e números de série, são transmitidos ao software Helios da ARC. O software atribui um identificador único para cada item e, em seguida, uma etiqueta RFID UHF, feita com um chip Impinj Monza em um inlay Smartrac, é impressa e anexada. Cada etiqueta inclui a identificação do item, especificações do produto, data de validade e outros detalhes.

Os trabalhadores autorizados utilizam os seus cartões RFID, originalmente emitidos para controle de acesso, para verificar itens no quiosque. Os leitores RF Ideas capturaram os dados do usuário e os leitores e antenas AWID capturam as datas do produto. O software Helios associa as informações do usuário e produto, juntamente com a hora do evento e data, para registros de inventário e cadeia de custódia.

"Nós pegamos um quarto inteiro, acrescentamos antenas e leitores, e transformamos todo o espaço em um armário de RFID", Stepien constata. "É como uma área check-out de self-service Home Depot com esteróides, mas em vez de usar leitores de código de barras para registrar produtos, basta passar a etiqueta".

A ARC trabalhou de perto com NMH para customizar o software Helios. "Nós não tivemos que mudar nossos fluxos de trabalho", diz Stepien. "Todos os outros fornecedores de tecnologia que falamos tinham um fluxo de trabalho muito específico que devia ser seguido para fazer seu produto funcionar com precisão. Este sistema foi construído para trabalhar com o nosso fluxo de trabalho atual".

O software Helios é integrado com um sistema de software paciente Cerner do NMH, incluindo o módulo de faturamento e seu software de planejamento ERP, da PeopleSoft. Isso cria uma "linha sólida entre estoque, faturamento e reabastecimento", explica Stepien.

O banco de dados Helios abriga as informações sobre os níveis de estoque, datas de validade dos produtos, reordena valores e informações de faturamento relacionadas, diz Sharp. Pedidos de compra são gerados automaticamente para evitar o “fora-de-estoque”, e pacientes não cobrados são sinalizados. Relatórios de inventário diário, customizados com vistas detalhadas por item, departamento, funcionários e outros fatores são acessíveis a usuários autorizados através de um site.

"Ao interagir diretamente com cada um desses sistemas", relata Sharp, "somos capazes de controlar os dados da tag RFID para atualizar cada sistema automaticamente, eliminando a entrada manual e os erros associados".