RFID Reportagens

Mantendo Guias em Recicláveis e Suprimentos

A Hewlett-Packard Brasil Amplia o uso de RFID para Melhor atender a uma Lei do governo brasileiro e melhorar a gestao da cadeia de suprimentos.

Por Jill Gambon

17 de outubro de 2011 - Com base no sucesso da sua implementação inicial de identificação por radiofrequência para rastrear suas impressoras através da produção e distribuição, a Hewlett-Packard Brasil ampliou o uso da tecnologia para outras áreas do seu negócio. Agora, a empresa está empregando RFID para ajudar a cumprir a nova Lei de resíduos sólidos do governo e para melhor gerir o inventário de suprimentos para impressoras no varejo .

"A HP está continuamente lançando novas iniciativas para melhorar suas operações e aprender a fazer diferente com RFID em seus clientes", diz Marcelo Pandini, gerente de planejamento, execução e operações da HP/IPG do Brasil.


Em uma unidade de reciclagem em São Paulo, leitores RFID capturam dados de impressoras etiquetadas.

Em 2008, a HP Brasil iniciou um programa de reciclagem de hardware, que alavancou a infraestrutura de RFID que a empresa tem construído desde 2005, quando começou etiquetar impressoras com tags UHF passivos. A empresa percebeu que poderia capturar as informações das tags RFID quando os clientes devolvessem as impressoras para reciclagem. Isto essencialmente permite que a empresa rastreie suas impressoras, desde a concepção na linha de montagem até o final de seu ciclo de vida no centro de reciclagem.

As tags RFID oferecem uma taxa de precisão quase perfeita, diz Pandini, apesar do fato de que algumas delas já terem seis anos desde sua aplicação, e serem da primeira geração de tags. Informações sobre a impressora, como os materiais que ela contém, são recuperadas pela leitura da tag. Identificar as impressoras através de tags RFID elimina a necessidade de mão de obra para registrar manualmente as informações, diz ele, um processo que tende a ser propenso a erros e de resultados incertos.