RFID Noticias

Empresa brasileira nasce para fabricar tags ativas

Baseada na Incubadora Phoenix, da UERJ, a Senfio começou desenvolvendo software de manutenção para a área médica e, há um ano, trabalha com RFID

Por Edson Perin

21 de setembro de 2012 - Com a missão de promover o avanço tecnológico utilizando a tecnologia RFID (identificação por radiofrequência) em produtos e serviços inovadores e soluções inteligentes e dinâmicas, a Senfio está inserida na Incubadora de Empresas Phoenix, da Faculdade de Engenharia, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Durante os primeiros passos, os fundadores da empresa desenvolviam software de manutenção para a área médica, o que abriu a oportunidade para se criar há um ano, dentro deste mesmo setor, uma série de soluções inovadoras baseadas na tecnologia RFID.

O diretor comercial e um dos fundadores da Senfio, Elyr Teixeira, conta que a primeira ideia foi a de medir as variações de temperatura dos ambientes e dos freezers dos hospitais, a cada instante, utilizando tags ativas de RFID que os próprios empreendedores brasileiros projetaram e passaram a fabricar. “Um produto ainda em desenvolvimento é a pulseira para pacientes, que permitirá a identificação individual e também a localização em tempo real, por meio de RTLS [Real Time Location System]”, afirmando que a solução será lançada dentro de alguns meses.

Acima, a planta baixa de uma edificação; abaixo, a mesma área sendo monitorada por uma solução RFID da Senfio, que exibe as variações instantaneamente, por interface gráfica

A primeira injeção de capital foi dos próprios empreendedores e, num segundo momento, houve um aporte realizado pelo governo, via Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).
“Ganhamos dois editais públicos para o desenvolvimento de tags ativas de RFID no país, exclusivamente para a área médica”, disse Elyr.

O investimento governamental exige que a empresa apresente resultados até agosto de 2013, mas a Senfio está tranquila quanto a esta determinação. “Já temos resultados agora: temos um cliente que está satisfeito com os testes realizados com o nosso sistema”, informou sem dar o nome da empresa, por não ter autorização para isto ainda.