RFID Noticias

Sensores de temperatura RFID monitoram pacientes pediátricos

O sistema do Hong Kong Union Hospital permite aos enfermeiros monitorar as crianças a noite toda, em tempo real, sem atrapalhar o sono delas

Por Claire Swedberg

13 de setembro de 2012 - Em comparação com os adultos, os pacientes pediátricos estão expostos a um maior risco devido a febres e, por isso, os hospitais devem medir as temperaturas destes pacientes com frequência ao longo da noite. Porém, utilizando um termômetro portátil, a criança poderá ser despertada toda vez que o enfermeiro vier medir a sua temperatura e, além disso, a febre pode surgir perigosamente entre uma medição e outra, sem que seja notada.

Para permitir que seus pacientes pediátricos tenham uma boa noite de sono e para acompanhar as oscilações de temperatura de modo mais frequente, o Hong Kong Union Hospital instalou um sistema de identificação por radiofrequência fornecida pela empresa de RFID Cadi Scientific. De acordo com Grace Too, gerente da Cadi Scientific, a solução conhecida como SmartSense consiste em sensores de temperatura em etiquetas RFID que os pacientes usam no abdômen, interrogadores RFID montados em paredes e o software SmartSense, para receber os dados, armazená-los e emitir alertas em caso de oscilação de temperatura.

O Hong Kong Union Hospital é um estabelecimento de 400 leitos e abriga uma ala pediátrica com capacidade para até 54 pacientes. Quando as crianças ficam no centro médico para tratamento, uma enfermeira utiliza um computador de mão com termômetro timpânico (ouvido), para monitorar a temperatura de cada criança. A frequência com que esta tarefa é realizada varia de acordo com cada paciente.

Com o sistema em vigor, diz Cheung Ka Ming, gerente de TI do hospital, "esperamos alcançar não só o objetivo de melhorar o descanso das crianças durante a internação, mas também permitir que os médicos e enfermeiros recebam alertas em tempo real, o que facilitará o tratamento imediato".

O sensor RFID ativo Cadi TSS 800, de UHF, tem forma de disco, mede cerca de 3 centímetros de largura e é aplicado ao abdómen de um paciente por meio de uma fita adesiva. Alimentado por uma bateria de lítio, o sensor monitora a temperatura do indivíduo a cada 30 segundos. Em seguida, transmite os dados, juntamente com o número da etiqueta do sensor, aos interrogadores Cadi SMN 800 montados nas paredes, que transmitem a informação para o software Enterprise SmartSense, residente no sistema de back-end do hospital.
Os monitores de sinais vitais estão ligados a uma interface de dispositivo médico conhecida como SmartBridge Cadi SMB 800, que recebe medições de pressão sanguínea e ritmo cardíaco e as relaciona ao código de barras com o número de identificação da pulseira do paciente. O SmartBridge encaminha, então, os dados para a rede.

Os sensores de temperatura podem transmitir através de uma gama de 10 a 20 metros. Assim, o hospital tem 27 leitores instalados ao longo da área de pediatria, a fim de proporcionar uma cobertura de 100%.