RFID Noticias

Lançado Brinco do Boi equipado com chip nacional de RFID

Grupo brasileiro especializado em produtos para o agronegócio produz identificador animal equipado com o Chip do Boi desenvolvido pela Ceitec

Por Edson Perin

28 de agosto de 2012 - O Grupo Fockink, especializado em produtos para o agronegócio, anunciou a fabricação de um brinco eletrônico para identificação e rastreamento de animais. O identificador produzido pela Fockink utilizará o Chip do Boi (CTC 11002), dispositivo totalmente desenvolvido pela Ceitec S.A., empresa pública federal focada no desenvolvimento e produção de circuitos integrados.

O Brinco do Boi da Fockink funciona com base na tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) e permitirá diversos ganhos aos pecuaristas, graças à precisão na identificação de cada animal, facilitando o controle mais efetivo de idade, peso, vacinas e outras informações individualizadas do rebanho e, assim, atendendo às demandas dos mercados internacionais, inclusive das rentáveis carnes gourmets.

Siegfried Kwast, do Grupo Fockink
“A nova tecnologia oferece ganhos maiores aos produtores em relação a outros sistemas utilizados com mais frequência hoje, como o brinco com código de barras ou identificação por imagem”, esclarece o diretor-presidente do Grupo Fockink, Siegfried Kwast. O objetivo da Fockink, que já oferece outros sistemas para identificação de rebanhos e que agora aposta na RFID como tecnologia mais eficiente para este objetivo, é o de ofertar ao pecuarista um método mais seguro de identificação animal.

“Além de proporcionar maior eficácia no controle sanitário de animais, o brinco eletrônico da Fockink gera mais valor à carne, já que é possível registrar e acompanhar as informações relacionadas ao animal durante toda a sua vida. A rastreabilidade eletrônica é uma exigência cada vez mais comum em alguns mercados internacionais”, enfatiza Kwast, acrescentando que o brinco eletrônico aprimora a identificação individualizada dos animais.

Há poucos meses, a Fockink adquiriu um lote de engenharia do Chip do Boi (CTC 11002) para fazer ajustes na sua linha de produção e, em um segundo momento, realizar os primeiros testes com o produto desenvolvido pela Ceitec. Após realizar ajustes e atingir os resultados positivos, a empresa encomendou um lote inicial para produção em volume comercial e, assim, atender à crescente demanda do mercado por brincos eletrônicos.