RFID Noticias

Selas de montaria têm rédeas curtas com tags RFID

Empresa australiana está inserindo etiquetas passivas nas selas que produz, para garantir aos clientes que possam identificar seus próprios arreios, inclusive quando furtados

Por Claire Swedberg

15 de agosto de 2012 - Na Austrália, membros do comércio de gado e fazendeiros passaram a carregar com naturalidade um leitor RFID, graças à proliferação das etiquetas de RFID (identificação por radiofrequência) usadas em bovinos e cavalos. Não só os proprietários de cavalos e tratadores têm seus próprios leitores, mas também a força policial que trabalha neste setor. Por isso, quando o fabricante de selas de montaria Clint Gollan conheceu Tim Scott, gerente de vendas e marketing da empresa especializada em RFID Datamars Australia, em um evento agrícola realizado no ano passado em Cloncurry, no estado de Queensland, a dupla bolou uma nova maneira com que a tecnologia poderia ser usada: para impedir o roubo das selas artesanais produzidos pela empresa de Gollan.

A fábrica de selas Paul Gollan Saddlery, localizada em Toowoomba, Queensland, é uma empresa familiar que vende selas feitas à mão, assim como freios, pelegos, chicotes e outros acessórios.

Paul Gollan, segurando a estrutura da sela com uma etiqueta RFID passiva incorporada

As selas artesanais custam a partir de US$ 3.800 dólares cada uma e, devido ao seu alto preço, são alvo de furto e até roubo. Quando a polícia encontra uma sela roubada, porém, é difícil determinar o seu proprietário. Embora cada uma das selas de sua empresa tenha uma placa de metal com um número de série gravado, segundo Paul Gollan, a identificação pode ser removida, tornando-se quase impossível para a polícia comprovar a sua propriedade.

"O uso dos chips RFID tornou a identificação das nossas selas muito mais fácil", explica Gollan. A fabricante de selas iniciou a inserção de uma etiqueta RFID Datamars T-IP 8010 FDX-B ou HDX, de 134 kHz, inserida em um polímero e adequada à norma ISO 11784. O número da etiqueta de identificação está vinculado aos dados do banco de dados da selaria. Usando a tag envolta em polímero, diz Scott, pode-se ter certeza de que não será destruída pelo desgaste provocado pelo uso da sela.