RFID Noticias

Empresa de celulose aumenta precisão e velocidade da logística com RFID

A finlandesa Metsä Fibre controla a localização dos fardos de polpa, a partir do local de produção até sua entrega em fábrica de papel europeia

Por Claire Swedberg

7 de agosto de 2012 - A Metsä Fibre, produtora finlandesa de celulose de madeira utilizada para a fabricação de papel e papelão, conseguiu melhorar a eficiência de suas quatro fábricas, reduzir erros de navegação e aumentar a visibilidade de seus produtos dentro da cadeia de abastecimento, graças a um recém-implantado sistema de identificação por radiofrequência. A solução, fornecida pela Vilant, foi implantada em dezembro de 2011, após um piloto da tecnologia na linha de produção de fibra de celulose da Metsä, na cidade de Rauma. Em janeiro deste ano, um dos clientes da empresa, uma fábrica de papel europeia começou a ler as etiquetas RFID, a fim de documentar o recebimento dos embarques de celulose, bem como armazenar os dados e compartilhá-los com a Metsä Fibre. Graças aos leitores de RFID instalados em empilhadeiras e em um portal de transportes, a empresa está proporcionando melhores dados a respeito de onde os volumes de celulose estão localizados, sem a necessidade de que sua equipe escreva manualmente os números de série.

As fábricas de celulose de Metsä Fibre produzem uma variedade de categorias (graus) de celulose, que são formados em fardos e são então enviados da Finlândia, normalmente por navios, para fábricas de papel e outros clientes em toda a Europa e em todo o mundo. Durante o processo, os fardos podem permanecer em depósito antes do envio, em usinas próprias da Metsä Fibre e nos armazéns portuários. Embora a empresa produza mais de 20 tipos diferentes de celulose, os fardos muitas vezes podem ser semelhantes. Assim, de acordo com a empresa, assegurar que o fardo correto está na área de transferência correta requer um processo de trabalho intensivo.

Tarja Nousiainen, da Metsä Fibre
"Antes de instalar RFID, a expedição era baseada em identificação visual em cada ponto de armazenamento", diz Tarja Nousiainen, VP da Metsä Fibre. Segundo ele, assim era realizada a impressão de números de série nos fardos. "O problema era que as marcações podiam não ser muito claras e legíveis. Além disso, todos os manejos e identificações, bem como os relatórios, eram baseados em dados manuais em cada ponto de armazenamento no caminho para as fábricas dos clientes."

A Metsä Fibre começou a buscar soluções de RFID já em 2005, mas descobriu que o uso de tags passivas UHF não seriam bem lidas nas áreas de polpa de madeira. A empresa selecionou a Vilant devido à sua disposição em realizar a investigação e desenvolvimento necessários para assegurar que um sistema de RFID pudesse funcionar corretamente dentro de um ambiente com estas caracerísticas.