RFID Noticias

Empresa aérea portuguesa TAP voa para RFID

A companhia usa identificação por radiofrequência para controlar a revisão geral de motores, componentes e ferramentas para manutenção

Por John Edwards

1 de agosto de 2012 - A TAP, companhia aérea de Portugal, tem uma longa história de utilização de tecnologia avançada para manter e gerenciar a sua frota internacional. Esta dedicação a excelência foi recompensada ao longo dos anos, proporcionando maior confiabilidade, qualidade de serviço e conforto aos passageiros. A TAP foi fundada em 1945 como Transportes Aéreos Portugueses e suas rotas atualmente estendem-se a 80 destinos em 36 países. A companhia opera cerca de 2.000 voos semanais, com uma frota de 55 jatos Airbus.

Fernando Matos, chefe de tecnologia da informação da TAP Maintenance and Engineering (TAP ME), está empenhado em manter a vantagem tecnológica da empresa por meio da identificação automática e implantação de sistemas que prometem dar agilidade às operações, melhorar processos e reduzir custos. Recentemente, inspirado pelo trabalho pioneiro da Airbus na implantação de identificação por frequência de rádio (RFID) em toda a sua cadeia de valor, Matos trabalhou com a gerência da TAP e consultores externos para empregar a tecnologia para trazer novos níveis de eficiência para a companhia aérea no que tange a revisão geral de operações e motores. "Mantemos nossos próprios motores, bem como para frotas de terceiros", afirma. "É importante que tenhamos a liderança com tecnologias promissoras que nos dão vantagem competitiva e desempenho superior".

A equipe responsável pela criação do pedido de reparo usa o sistema MEERA, com RFID

Embora as operações de recondicionamento e manutenção de motores da companhia aérea sejam consideradas bem-executadas, o alto comando da TAP ME entendeu que a RFID ofereceria um potencial único para elevar o reparo de motores a jato e as operações de manutenção a um nível maior de desempenho e visibilidade. Para ajudar a companhia aérea a manter sua posição competitiva, de acordo com Matos, a empresaria teria de ser capaz de antecipar as necessidades de tecnologia, pelo menos, três a cinco anos antes. "Devido a fatores como a economia, os preços dos combustíveis e as preferências de passageiros, às vezes precisamos adaptar nossos sistemas rapidamente ou delinear inteiramente novos", explica.

Enquanto TAP ME teve alguma experiência anterior com códigos de barras para rastrear e acompanhar ferramentas, seus técnicos e gerentes eram menos do que satisfeito com o desempenho da tecnologia do mundo real. "Você tem que estar na linha de visão a usar códigos de barras, e que nem sempre é possível em nossa situação", explica Matos. RFID foi identificada como uma tecnologia que pode trazer benefícios impressionantes, independentemente da produção de piso ou condições de negócios externos ou fatores econômicos. "É altamente confiável, e isso é muito importante para nós", diz ele.

Em janeiro de 2007, quando os gestores da TAP ME começaram a examinar as capacidades da RFID e seus potenciais, eles imaginaram uma solução que poderia ajudar a controlar e organizar de forma confiável os caros componentes de motores e ferramentas durante o processo de revisão geral. A equipe também começou a considerar a RFID como uma forma de aumentar a velocidade e eficiência do trabalho intensivo que envolve remoção, tratamento e remontagem de centenas de componentes diferentes e sofisticados. Finalmente, os gestores esperavam que RFID ajudasse a companhia aérea a crescer suas operações de manutenção de modo ordenado, permitindo adquirir novas capacidades e manter o ritmo de evolução das tecnologias e práticas.

Em outubro de 2007, com os objetivos básicos do projeto identificados, a TAP ME se juntou a uma equipe da Airbus que tinha experiência no mundo real com RFID para manutenção e engenharia, para examinar projetos potenciais do sistema e obter insights sobre o dia-a-dia, os benefícios e requisitos operacionais. "Estamos muito acostumados a parcerias na indústria", afirma Matos, "e nós não hesitamos em buscar conhecimento e discernimento de fontes que possam nos ajudar a ganhar novas habilidades e capacidades".