RFID Noticias

Statoil usa RFID para gerenciar tubos de perfuração

Tags e leitores de baixa frequência fornecidos pela Trac ID ajudam a empresa de petróleo e gás a determinar a vida útil de cada tubo que desce em um poço de petróleo

Por Claire Swedberg

26 de julho de 2012 - A empresa global de petróleo e gás Statoil começou a implantar uma solução de identificação por radiofrequência – baixa freqüência (LF) – para rastrear o uso de equipamentos de perfuração utilizados em poços marítimos, mantendo assim o registro da frequência que cada equipamento é usado, permitindo calcular sua vida útil. Esta informação permite que a empresa gerencie melhor seu estoque e garanta que o equipamento não foi usado mais do que deveria ou descartado antes de chegar ao final de sua vida útil.

A solução, conhecida como Sistema de Operações de Rastreamento de Perfuração (DOTS), é fornecida pela empresa norueguesa de RFID Trac ID Systems e consiste de etiquetas e leitores RFID de 125 kHz, compatíveis com a norma ISO 18000-2, bem como software para gerenciar os dados de RFID.

Marianne Hoie, da Statoil
A Statoil mantém operações marítimas de perfuração de petróleo em todo o mundo, inclusive no Mar do Norte e Golfo do México, além da costa da África. Com o sistema RFID, a empresa pretende melhorar a utilização de tubos de perfuração com base em dados mais precisos sobre a duração de cada tubo, diz Marianne Hoie, consultora sênior de tecnologia de perfuração da Statoil, e para reduzir o tempo de exposição da tripulação ao convés principal da plataforma.

Atualmente, a gestão de dados sobre os tubos e seu uso é registrada manualmente usando uma planilha Excel, da Microsoft, um processo que está propenso a erros. Além disso, diz ela, "a tripulação gasta muito tempo no convés principal para tomar as decisões sobre cada tubo de perfuração". Enquanto realizam esta tarefa, os trabalhadores estão expostos a vários perigos no convés principal, onde o equipamento pesado é operado perto a abertura do poço. "A RFID irá reduzir o tempo gasto no convés principal", afirmou Hoie. "Eles só terão de digitalizar cada tubo pelos scanners de mão e serão capazes de obter todas as informações de que precisam".

O equipamento Oil Rig consiste de uma série de tubos de perfuração, unidos em uma corda e que são baixados em um poço perfurado. Sua localização dentro da cadeia, juntamente com quanto tempo eles permanecem em operação, pode ditar a vida útil do equipamento. A informação por papel é complicada e pode conduzir a uma peça de equipamento a ser retirada antes da hora ou ao risco de um tubo de perfuração ser utilizado enfraquecido, quando deveria ter sido removido do inventário.