RFID Noticias

CEO do JC Penney usa RFID para transformar modo de comprar

Ron Johnson diz que sua rede implantará etiquetas de identificação por radiofrequência em todas as mercadorias neste ano para habilitar o auto-checkout em 2013

Por Paul Prince

24 de julho de 2012 - Na conferência Fortune Brainstorm Tech, realizada em Aspen, Colorado, o CEO da rede de lojas de varejo JC Penney, Ron Johnson, anunciou que planeja implantar etiquetas RFID em 100% de suas mercadorias neste ano. Em 2013, segundo ele, a empresa espera empregar a tecnologia para ajudar a transformar a maneira pela qual os consumidores realizam compras de bens em suas 1.100 lojas.

Na conferência, durante uma entrevista realizada por Jennifer Reingold, editora sênior da revista Fortune, Johnson explicou o papel que espera que a tecnologia RFID desempenhará no futuro da JC Penney. "RFID é claramente uma tecnologia que está esperando para entrar no horário nobre, com base no custo do bilhete de compras médio", afirmou. "Acredito que o atual aumento do bilhete contra o custo da etiqueta está agora em um ponto em que os benefícios superam os investimentos".

De acordo com Johnson, a JC Penney planeja realizar algo que nenhum outro varejista já fez antes: "Vamos nos tornar 100% RFID, já neste segundo semestre. Então, em primeiro de fevereiro do próximo ano, a plataforma RFID da JC Penney estará completa".

O CEO observou que a maioria dos varejistas atualmente utilizam RFID principalmente com a finalidade de gestão de inventário. "Você vai para a maioria das lojas de varejo, tudo o que você vê são as pessoas que fazem o trabalho para executar a estratégia de varejo. É lotação de prateleiras e realização de negócios", disse Johnson Reingold. "Isso vai mudar com forma como usaremos o Wi-Fi, RFID, mobile checkout. Você será capaz de comprar em qualquer lugar, a qualquer hora, com qualquer pessoa, incluindo você, porque nós estaremos implantando o self-checkout nas nossas lojas no ano que vem e é muito legal e é muito fácil, porque está baseado em RFID. Você não tem que digitar códigos de um item. Você simplesmente o colocará em um cesto e terá o preço".

Atualmente, explicou Johnson, estamos operando todos os registros de caixa da empresa: "Cerca de 10% de todo o dinheiro que nós gastamos, ou seja, meio bilhão de dólares por ano, vai para custear as transações", disse ele. Ao usar o RFID, em conjunto com outras tecnologias, para permitir self-checkout, a empresa economizará dinheiro que será então usado para oferecer um novo nível de serviço ao cliente.

Por 11 anos, Johnson trabalhou na Apple, onde atuou como vice-presidente sênior da empresa para operações de varejo. Ele então deixou a empresa de eletrônica de consumo para ir à JC Penney em novembro de 2011. A adoção de RFID, disse Johnson, é parte de sua missão de criar uma "nova interface para o varejo", que vai fazer a loja física "indispensável" em um mundo digital.

"Sabe, quando me juntei à Apple em 2000, eu saí de uma loja física, a Target, e as pessoas pensavam que eu era louco de ir para a Apple, porque naquela época, a Apple estava perdendo mercado", disse ele à plateia. "Muito poucas lojas de varejo, eu acho, verdadeiramente navegam neste futuro digital e, como os mundos digital e físico vivem juntos, eu vim para a JC Penney para criar uma nova interface para o varejo".
  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »