RFID Noticias

Projeto com RFID pode tornar pedágio mais justo nas estradas de São Paulo

O governo paulista autorizou aumento médio de 4,6% a partir deste domingo e pretende derrubar tarifas com uso de nova tecnologia nos próximos anos

Por Edson Perin

29 de junho de 2012 - As férias de julho de 2012 ficarão mais caras para os paulistas já nos primeiros quilômetros. Quem trafegar com seu veículo de passeio pelo sistema Anchieta-Imigrantes, por exemplo, que liga São Paulo capital ao litoral sul do Estado, passará a desembolsar R$ 21,20 de pedágio a partir deste domingo, dia primeiro de julho de 2012. Motivo: o governo do Estado de São Paulo autorizou um aumento médio de 4,6% nas tarifas, com base na inflação, em todas as rodovias estaduais.

Um dos grandes problemas dos pedágios atualmente (e sempre – pelo menos até agora) é que cobram o mesmo valor dos veículos que trafegam 100% do percurso das rodovias ou poucas dezenas de metros após os postos de arrecadação. O mais justo seria cobrar pela quantidade de quilômetros rodados, de acordo com especialistas do próprio governo estadual. Assim, quem rodar 50 quilômetros paga R$ 1,00 de tarifa, mas quem trafegar por 500 quilômetros desembolsa R$ 10.

Ponto a Ponto: sensores nas rodovias fazem cobrança de pedágio com tarifa individualizada, por quilômetro rodado

Sonho? Não! É um projeto que se chama Ponto a Ponto e já está em testes em duas rodovias do Estado de São Paulo.

O sistema terá como base a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), que já vem sendo utilizada há vários anos em diversas rodovias pela operadora Sem Parar – Via Fácil (leia mais em Sistema Sem Parar/Via Fácil para pagamento de pedágios terá upgrade em 2013), inclusive para automatizar a cobrança em estacionamentos de shoppings, e que agora já conta com mais uma empresa prestadora dos serviços, a DBTrans, concorrente da Sem Parar – Via Fácil.

Os objetivos do governo do Estado de São Paulo com a tecnologia RFID, segundo Giovanni Pengue Filho, coordenador do projeto Ponto a Ponto, são tornar mais justa a cobrança de pedágio, facilitar a entrada de novos players no negócio de cobrança automática de pedágios, estimular a concorrência entre as operadoras de cobrança automática e estimular o desenvolvimento de alta tecnologia por empresas locais. Além disso, o Ponto a Ponto está alinhado com o projeto do Siniav (Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos), que pretende incluir tags de RFID em todos os veículos brasileiros, para fiscalização automática (clique aqui e leia mais).