RFID Noticias

Três fabricantes de chips RFID concordam na abordagem por serialização

O sistema deverá tornar o gerenciamento de números de série mais fácil para os usuários finais, enquanto oferece avançados em relação à flexibilidade demandada

Por Mark Roberti

23 de maio de 2012 - Três dos principais fornecedores de microchips passivos UHF de identificação por radiofrequência (RFID) baseados no padrão de segunda geração da EPCglobal chegaram a um acordo sobre o método de resposta coordenada para os usuários finais evitarem a duplicação de números ao usar chips baseados em números de série de empresas diferentes. Esta abordagem tem sido chamada de Serialização Baseada em Chips de Múltiplos Fornecedores (Multi-vendor Chip-based Serialization ou MCS).

O formato de 96 bits do Electronic Product Code (EPC) utilizado para produtos de consumo tem 38 bits designados para a porção número de série de um EPC; os outros 58 bits são utilizados para identificar o tipo de produto a ser marcado, bem como a empresa que o fabrica. Os três fornecedores – Alien Technology, Impinj e NXP Semiconductors – concordaram com um quadro comum para a atribuição do número de série EPC 38 bits com base na identificação de tag (TID), com 72 a 168 bits de números gravados no chip durante a fabricação.

Cada fabricante de chip irá desenvolver uma fórmula para a extração de 35 bits a partir dos TIDs. Estes 35 bits, combinados com um código de três bits usado para identificar o fabricante de chips, seriam utilizados para criar um número único de 38 bits EPC. Cada fórmula será um pouco diferente, mas por concordar com um prefixo de identificação de um fabricante do chip especial, as três empresas estão garantindo que não haverá duplicação de números EPC dessa maneira.

A proposta não é um padrão e os usuários finais não serão obrigados a usar esta abordagem, de acordo com Ken Traub, consultor da GS1, que, juntamente com Gena Morgan, gerente da GS1, ajudou na criação de um grupo de trabalho destinado a desenvolver um padrão de serialização. O grupo de trabalho, no entanto, desde então, determinou que não havia uma solução one-size-fits-all para 96 bits EPC. As orientações que estão sendo elaboradas pela GS1 indicam que os proprietários de tags terão de gerir os números de série colocados em seus produtos.

Mas a MCS oferece aos usuários finais uma opção conveniente, se quiserem escolher "serialização baseada em chip" com números de série geridos pelas fabricantes de chips. Com base em chip de serialização pode-se ter o número de série determinado pelas TIDs no chip. A alternativa para a serialização baseada em chip é a "serialização baseada em TI", em que os números de série são criados e gerenciados por um software implantado pelo usuário final. Tal software geralmente utiliza uma base de dados para controlar quais os números de série têm sido utilizados, de modo que o mesmo número não seja atribuído duas vezes.