RFID Noticias

RFID para pequenos resorts de esqui

Blue Hills Ski Area e Campgaw Mountain implantaram um sistema de RFID para emissão de ingressos e controle de acesso para melhorar as operações comerciais

Por Laton McCartney

4 de maio de 2012 - A Blue Hills Ski Area é um pequeno resort com 12 trilhas em Canton, perto de Boston, de propriedade do Estado de Massachusetts. Desde 2007, a Blue Hills foi operada pela Ski Blue Hills Management (SBHM), que lançou um programa de revitalização em um contrato de cinco anos. A SBHM, que também opera a área de esqui da Campgaw Mountain, localizada em Mahwah, NJ, gastou mais de US$ 300.000 para melhorar os resorts. Isso incluiu a adição de novas máquinas de neve e dois "Magic Carpets", medindo 300 pés, com elevadores que permitem a iniciantes ficar sobre uma correia transportadora e ir até o topo da encosta.

No final do verão de 2011, Serge Munnia-Vincent, o presidente da DAG System, localizada em Woburn, Massachusetts, solicitou à SBHM que instalasse o SnowDAG, o sistema de RFID para venda de ingressos e controle de acesso para estâncias de ski. Kristin Orozvitch, gerente geral da Blue Hills, e Corie Stone, diretor de operações da SBHM, estavam entusiasmados com a implantação da tecnologia. "Queríamos levar o negócio adiante", diz Stone. "Passes de esqui RFID poderiam dar mais comodidade aos clientes, reduzindo filas de espera. Além disso, eles poderiam carregar créditos em dinheiro para o cartão de RFID e usá-los para fazer compras em nossas estações de varejo".

Portões RFID foram instalados na área de esqui dos resorts Blue Hills e Campgaw Mountain

Porém, o RFID parecia fora de alcance para a SBHM. Os gerentes da Blue Hills tinham interpretado a tecnologia como algo destinado apenas para operações de esqui grandes, como Vail Resorts, que atrai 1,6 milhão de esquiadores e snowboarders para suas cinco montanhas anualmente – a Vail usa RFID desde 2008 –, enquanto a Blue Hills só atrai 35.000 a 40.000 esquiadores por temporada, diz Orozvitch.

Mas Munnia-Vincent explicou que a DAG tinha instalado a SnowDAG em mais de meia dúzia de pequenas operações de esqui na Costa Leste dos Estados Unidos (EUA), incluindo West Mountain Ski Resort, em Glens Falls, NY, e Maple Ski Ridge, em Schenectady, NY. Ele, então, fez uma oferta que a SBHM não podia recusar: uma parceria com a empresa para reduzir custos iniciais. Ou seja, em vez de ter que pagar pelos portais RFID, que custam de US$ 2.000 a US$ 4.000 cada, ele os arrendaria como parte de um contrato de três anos. A SBHM comprou os leitores e codificadores RFID para imprimir passes para esquiar, além de leitores de RFID para uso em balcões de vendas. "A licença para o software ficou em uma taxa mínima anual", disse Stone.

“O preço era justo para a SBHM”, afirmou Stone. "Essa abordagem faz sentido para a DAG, porque ganham mais dinheiro fora dos cartões de RFID". A Blue Hills também sentiu confiança na DAG. Com sede mundial em Lyon, França, a DAG fornece ferramentas de RFID para várias operações de esqui europeias e asiáticas. A empresa também tem soluções de sincronização de RFID para organizações desportivas.