RFID Noticias

Tecnologias de identificação e rastreamento entram na rotina brasileira

Noticiários de TV e matérias de jornais desta semana revelam a popularização dos recursos avançados de tecnologia no dia a dia dos cidadãos comuns

Por Edson Perin

27 de março de 2012 - O rastreamento por sistemas de RFID (identificação por radiofrequência) ou de RTLS (sistema de localização em tempo real) viraram rotina no Brasil. Os noticiários desta semana revelam que o uso de tecnologias avançadas está longe de ser um tabu no país. Aliás, muito pelo contrário, porque já atingiu o status de trivialidade.

Somente o Jornal Nacional, da TV Globo, o mais popular noticiário televisivo do país, mostrou duas inovações no uso de tecnologias de rastreamento nesta segunda-feira, dia 26 de março de 2012. A primeira foi a adoção de RFID pela prefeitura da cidade baiana de Vitória da Conquista, que está investindo R$ 1,2 milhão para rastrear alunos em suas escolas e, assim, pretende reduzir a evasão escolar. E a segunda foi a implantação pela Secretaria Municipal de Transportes da cidade de São Paulo (SP) de um sistema de RTLS baseado em GPS para rastrear ônibus urbanos e informar com precisão o horário de chegada dos veículos em cada ponto de ônibus.

Tela do OlhoVivo, da SPTrans, que informa horário exato de chegada de ônibus

As mesmas notícias saíram em diversos outros sites e jornais desta semana, mas o fato de terem sido também divulgadas também pelo Jornal Nacional indica o alto grau de popularização destas tecnologias. No caso da prefeitura de Vitória da Conquista, chips de RFID foram costurados nas camisetas dos uniformes dos estudantes. Cada uma dessas tags contém a identificação pessoal dos alunos, como nome e número de matrícula. Toda vez que um aluno entra ou sai da escola é obrigado a passar por um portal com leitores RFID que leem a identificação personalizada. A partir daí entra em funcionamento um sistema que envolve a interação entre as tags individuais de cada estudante com os leitores de RFID, antenas, o software instalado no banco de dados da escola e a rede de telefonia celular da cidade.

Ao passar pelo portal de entrada e saída, a tag pessoal de cada aluno é reconhecida pelos leitores de identificação por radiofrequência e a informação individual é transmitida por meio de antenas para o servidor da escola, onde estão os registros de todos os seus estudantes. Com este dado, o sistema identifica todos os alunos que passam pelo portal e registra a presença dos estudantes automaticamente.

Em seguida, o software que faz a gestão da chegada e da saída dos alunos encontra o número do celular da mãe, pai ou responsável que está associado ao registro de cada estudante e dispara uma mensagem por SMS (torpedo), avisando que o aluno chegou ou deixou a escola. Se o aluno não chegar à escola 20 minutos após o início das aulas, o sistema envia outra mensagem para os pais, com um alerta. Além disso, os pais também podem prever com maior exatidão a hora em que o filho deve chegar à casa após a saída da escola, o que também favorece a segurança dos alunos em trânsito.