RFID Noticias

T-Systems e Intel testam RFID para rastrear servidores em datacenter alemão

Na operação conjunta do DataCenter 2020, em Munique, as empresas instalaram etiquetas passivas EPC UHF nos servidores e leitores sobre prateleiras e portas

Por Rhea Wessel

22 de março de 2012 - O integrador de sistemas sediado na Alemanha T-Systems e a Intel, fabricante norte-americana de processadores de computador e outras tecnologias, estão avaliando os resultados da instalação de etiquetas passivas RFID (identificação por radiofrequência) UHF EPC (Electronic Product Code ou código eletrônico de produto) para rastrear os ativos de TI de um datacenter modelo localizado em Munique, na Alemanha. As duas empresas estão considerando a possibilidade de implantar a mesma solução de tecnologia em outros centros também.

O aplicativo usa a informação recolhida por meio de de identificação por frequência de rádio para localizar os componentes de hardware, particularmente servidores instalados em racks. Um piloto de RFID foi realizado em 2010 e 2011, no DataCenter 2020, centro de dados (datacenter) operado pela T-Systems e Intel. A integração dos dados de RFID para o software utilizado pela T-Systems para gerenciamento do datacenter está em curso, segundo as empresas, e está prevista para ser concluída em meados de 2012. Quando a integração estiver concluída, a T-Systems será capaz de utilizar os dados recolhidos através de RFID no fluxo de trabalho e aplicativos de compras Aperture.

O 2020 DataCenter, concebido para testar métodos de conservação de energia, é usado como uma vitrine para os clientes e para testes de várias configurações de hardware. "Por causa das configurações de teste para os clientes, temos que saber qual equipamento está instalado em cada rack e em que sala", diz Manuel Mair, da T-Systems, que atua como gerente de projetos do datacenter. "Agora, com RFID, nós fazemos isso automaticamente em vez de planilhas de Excel".

Com servidores e racks etiquetados com RFID, os operadores do datacenter podem agora realizar inventários rápidos, incluindo os necessários para controle financeiro. Além disso, eles podem facilmente localizar e reparar um hardware e podem ser alertado sem caso de um empregado tentar instalar um servidor no rack errado.

Atualmente, há cerca de 150 servidores de oito racks sendo rastreados via tags RFID Omni-ID Prox Label UHF, baseadas no padrão EPC Gen 2. Uma tag é atribuída a cada servidor, com a marcação do seu local de instalação. Cada novo equipamento adquirido também já recebe uma tag. O equipamento é então identificado na entrada da sala de racks, usando um leitor de portal personalizado feito pela Deister Eletrônica. O portal inclui um detector de movimento infravermelho, de modo que o hardware identificado pode ser registrado na entrada ou saída da sala.