RFID Noticias

Empresa dedicada à gestão de resíduos de construção usa solução que combina RFID com GPS

A Challande emprega a solução ChisFleet, da AgoraBee, para rastrear a localização de contêineres metálicos de lixo que podem estar espalhados em dezenas ou centenas de clientes por toda a Suíça

Por Claire Swedberg

1 de março de 2012 - A empresa suíça de gestão de resíduos e transporte de materiais Challande et Fils está rastreando a localização de seus recipientes e contêineres de lixo de materiais de construção, entre outros. O rastreamento está sendo realizado por meio de etiquetas RFID (identificação por radiofrequência) e de leitores instalados em caminhões, que transmitem os dados individuais de cada recipiente ou contêiner, incluindo a sua localização por GPS (sistema de localização global). A solução ChisFleet, que automatizou o trabalho, é fornecida pela AgoraBee, uma empresa dedicada às tecnologia de RFID e GPS. Desde a instalação do sistema, em setembro de 2011, a Challande reduziu o risco de extravios e também diminuiu a quantidade de tempo necessária para o seu pessoal localizar os 250 ou 400 volumes da empresa, que ficam distribuídos por toda a Suíça.

A AgoraBee desenvolveu o ChisFleet para ajudar empresas de gestão de resíduos e construção a rastrear ativos como recipientes de lixo, que podem ser distribuídos por uma grande quantidade de locais, dificultando seu controle e localização. Em 2006, a empresa começou vendendo o seu produto exclusivamente por canal de revenda, antes de optar por, em alguns casos, instalar o sistema diretamente nos usuários finais. A solução ChisFleet, de acordo com Jari-Pascal Curty, diretor da AgoraBee, foi concebido tanto para incorporar RFID como GPS como para permitir o gerenciamento completo de dados.

Para rastrear a localização dos recipientes de coleta de seus resíduos, a Challande instalou etiquetas RFID e leitores nos caminhões utilizados para transportar os volumes

O sistema consiste em tags (etiquetas) RFID Krypton, da AgoraBee, ativas e de 2.4 GHz, feitas com chips nRF24L01+, da Nordic Semiconductor , baseadas em um protocolo proprietário de comunicação, e que estão ligadas aos reboques e caminhões. De acordo com Louis Harik, chefe de pesquisa e desenvolvimento da AgoraBee, as tags sinalizam os seus números exclusivos de identificação a cada 10 segundos.

Receptores fabricados pela AgoraBee estão instalados em caminhões, para capturar as transmissões das tags e as transmitir a um sistema de back-end por meio de uma ligação de celular. O receptor também transmite a sua própria posição usando um GPS e, dessa forma, o software pode identificar a tag que está sendo lida e também a sua localização exata. Quando um caminhão deposita um recipiente de lixo e se desloca para ir embora, as transmissões daquela tag não são mais recebidas. O software, então, interpreta que o volume foi descarregado e relaciona o seu número de identificação com a localização do veículo na hora em que o deixou. O alcance de leitura da etiqueta é tipicamente de 30 a 100 metros, diz a empresa.