RFID Noticias

Macy's Inc. Começará Etiquetagem em Nível de Item em 850 Lojas

A empresa planeja habilitar em RFID suas lojas Macy's e Bloomingdale's em 2012, e etiquetará seus produtos mais vezes reabastecidos e que representam cerca de 30 por cento das vendas do varejo.

7 de outubro de 2011 - > Ao final de 2012, todas as lojas Macy's e Bloomingdale's serão equipadas com tecnologia de identificação por radiofrequência, a fim de ler tags em nível de item de vestuário e itens pessoais vendidos nas lojas. A Macy's Inc., a empresa que detém as duas marcas, anunciou hoje que a sua implementação em nível de item de tags RFID de frequência-ultra-alta (UHF) Gen 2 para controle de estoque foi o resultado de testes-piloto de sucesso da tecnologia realizados ao longo dos últimos anos em um punhado de lojas da costa leste e centros de distribuição de móveis e roupas de cama. A Macy's Inc. opera 810 lojas de departamento Macy's em todos os 45 estados dos EUA, bem como no Distrito de Columbia, Guam e Porto Rico, e 41 lojas Bloomingdale's em 12 estados.

Desde o final de 2008 a empresa vem testando a tecnologia RFID através da leitura tags em artigos de vestuário, de acordo com Bill Connell, Macy's Inc. VP sênior de logística e operações. Inicialmente, diz ele, a tecnologia foi testada numa loja Bloomingdale's no bairro nova-iorquino do SoHo, ocasião na qual a velocidade e precisão di inventário da loja de inventário foram comparadas com as de outra loja de controle em que nenhuma tag RFID foi usada (ver Bloomingdale's Testa RFID em Nível de Item). O piloto foi então ampliado para incluir sete novas lojas e seis centros de distribuição. Segundo a empresa, o teste revelou que a precisão do inventário — saber quais bens foram colocados em qual específico — foi elevada para 97 por cento graças à utilização de tags RFID em nível de item, bem como a leitura dessas tags para a contagem de ciclo de estoques, tanto dentro das lojas quanto em centros de distribuição.

Com o lançamento permanente de RFID em todas as lojas Macy's e Bloomingdale's, fornecedores serão convidados a aplicar tags passivas UHF aos "itens de reposição" — produtos regularmente estocados e automaticamente reabastecidos quando vendidos para os clientes, e que representam cerca de 30 por cento das vendas da Macy's Inc. Os itens a serem etiquetados serão categorias de tamanho de intensiva reposição, como roupas íntimas masculinas e femininas, calças masculinas, roupas jeans e sapatos femininos.

O varejista prevê que a RFID permitirá que funcionários em todas as suas lojas realizem contagens de inventário mais rápido, permitindo assim que o inventário seja realizado com mais frequência ao longo do ano. No passado, contagens de inventário eram realizadas apenas uma vez por ano. O uso de RFID dentro de lojas, diz Connell, permite que a contagem de estoque de itens etiquetados seja tomada várias vezes por mês. Com as contagens mais frequentes, explica ele, a empresa espera que haja menos casos de falta de produtos nas prateleiras das lojas, o que também deve levar ao aumento da receita de vendas.

A implantação consistirá de leitores RFID portáteis para os funcionários usar na sala dos fundos ou na área de vendas, a fim de medir periodicamente os níveis de estoque. Um software armazenará os dados, incluindo o número de Código Eletrônico do Produto (EPC) de cada tag, bem como dados da unidade de manutenção da estoque (SKU) correspondente ao item. RFID portáteis também poderiam ser utilizados em todos os centros de distribuição da loja.

Para garantir que os itens de reposição recebidos nos centros de distribuição e lojas sejam etiquetados, a Macy's Inc. está trabalhando com seus fornecedores para ajudá-los na transição para aplicação de tags RFID aos produtos no momento em que os produtos são fabricados ou embalados. De acordo com Connell, a empresa informa que a melhor abordagem pode envolver a aplicação de uma tag RFID no lugar do rótulo preço ligado a cada peça de roupa ou na sua embalagem. Atualmente, diz ele, nenhum fornecedor está anexando as tags RFID aos produtos destinados à Macy's ou Bloomingdale's. No entanto, a maioria dos fornecedores dos itens de reposição, como roupas, vai começar a aplicar etiquetas até o final do próximo ano. A Macy's pretende ajudar com quaisquer problemas que possam surgir para os fornecedores ao fazer essa transição, diz Connell.

O momento é certo para o plano de etiquetagem em nível de item, diz Connell, uma vez que a tecnologia tem sido comprovada através de testes de sua empresa, bem como durante outros estudos de caso realizados pela Universidade de Arkansas. "A tecnologia está pronta, o hardware está funcionando bem, os pilotos foram feitos", afirma.

O varejista tem trabalhado com a Voluntary Interindustry Commerce Solutions Association (VICS) desde 2010 para desenvolver a adoção colaborativa de práticas padrão para etiquetagem em nível de item (veja Iniciativa RFID VICS em Nível de Item Iniciativa entra na Fase II). Connell serve como um co-presidente de comunicações e da comissão de extensão da iniciativa RFID em nível de tem da VICS (VILRI).

Com o uso de RFID, diz Connell, os clientes também se beneficiam por serem capazes de comprar um determinado tamanho e cor de um produto que eles procuram. "Quando você está com estoque, o cliente é mais bem servido", afirma, observando que os fornecedores também são beneficiados, uma vez que, também, serão capazes de garantir que seus produtos estão na área de vendas nos tamanhos e cores que clientes precisam.

A Macy's Inc. relata que está se concentrando em usar RFID apenas para a contagem de ciclo de estoques e apenas em itens de reposição, sem planos imediatos de expandir para outros produtos ou outras aplicações da tecnologia. Isso, Connell diz, é necessário garantir que a adoção da RFID seja gerida sem problemas em toda a empresa.

Fornecedores da tecnologia — tais como empresas de tag e hardware, bem como fornecedores de software — ainda serão determinado, diz Connell.
  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »