RFID Noticias

A América Latina Entra no Mapa com a Tecnologia RFID

Os representantes de empresas na conferência RFID Journal LIVE! para a América Latina estavam altamente entusiasmados e ansiosos para saber como a identificação por rádio frequência pode melhorar os negócios de suas empresas.

6 de setembro de 2010 - Por Mark Roberti

Na semana passada, nós realizamos nossa primeira conferência RFID Journal LIVE! Latin America, em parceria com a empresa LOGyCA. Nós tivemos 231 participantes, o que excedeu as minhas expectativas, considerando que era o nosso primeiro evento em uma região que tem estado um passo atrás no processo de adoção da tecnologia de identificação por rádio frequência. A maioria dos participantes eram da Colômbia, o que não foi surpreendente já que o evento foi realizado em Bogotá. Nós também tivemos participantes da Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Peru e Estados Unidos.

Os participantes eram de algumas das maiores empresas de manufatura da região, incluindo a Cementos Argos (uma grande produtora de cimento), C.I. Hermeco (roupas), Colcafé (café), Familia Sancela (produtos de higiene e para cuidados pessoais), Harinera del Valle (produtos alimentícios), Honeywell (tecnologias de segurança e energia), Mabe (eletrodomésticos), Noel (doces e biscoitos), Manufacturas Eliot (roupas), Unilever (produtos de consumo) e Vestimundo Crystal (roupas). Dentre as empresas varejistas, encontravam-se a Almacenes Éxito, Carrefour, Falabella, Grupo Éxito, Liverpool, Olimpica e a Nicolukas.

Nós tivemos excelentes palestrantes dos Estados Unidos. James Kress, da ADT, fez o detalhamento de alguns projetos do setor de vestuário nos quais a ADT tem trabalhado nos Estados Unidos. Dave Blackford atualizou o público a respeito dos esforços do U.S. Department of Defense – Departamento de Defesa dos EUA – visando à utilização da tecnologia RFID. Ian Robertson, da GS1 EPCglobal, deu informações aos participantes sobre as formas como as empresas estão utilizando os padrões GS1, incluindo o Código Eletrônico de Produto (EPC), para ganhar visibilidade. Ele também falou a respeito da forma como as etiquetas de frequência ultra alta podem ser usadas em aplicações antifurto. Sanjay Sarma, cofundador e Diretor de Pesquisa do Centro de Autoidentificação do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), que desenvolveu o conceito EPC, deu uma palestra sobre o porquê da adoção da tecnologia RFID estar caminhando de forma mais lenta do que a esperada e porque as empresas precisam continuar utilizando a tecnologia RFID para melhorar as operações de suas cadeias de suprimentos.

Apesar dos excelentes palestrantes dos EUA, foram os estudos de caso da América Latina que roubaram o show. O representante da Liverpool, Luis Vicente Ortega, em particular, impressionou o público ao falar sobre as formas com as quais a sua empresa vem usando a tecnologia RFID para melhorar suas operações. A Liverpool começou a implantação da tecnologia RFID em larga escala em 2008 e, no ano passado, começou a rastrear todas as caixas de roupas com as etiquetas RFID, dos centros de distribuição às lojas. A empresa etiquetou todos os contêineres reutilizáveis e relata que obtém taxas de leitura de 100 por cento. Nas lojas, a Liverpool reduziu o tempo exigido para fazer o inventário de quatro horas para 25 minutos.

O Grupo Éxito explicou como está empregando a tecnologia RFID dentro de sua cadeia de suprimentos. Elkin Alonzo Diez, Gerente de Relacionamento com o Fornecedor da Familia Sancela, falou sobre os desafios que sua empresa enfrentou para configurar e rastrear os portais para que os produtos que entram por uma porta da doca não fossem lidos pelos leitores RFID em outra porta. Eu adoro quando os palestrantes fazem isso porque os participantes podem aprender com os desafios que outras empresas tiveram que superar. (É uma marca dos eventos do RFID Journal a presença de empresas que falam de forma objetiva sobre a tecnologia RFID.)