RFID Noticias

Melhor Implementação RFID: Utilizando Etiquetas RFID em Impressoras

A Hewlett-Packard Brasil é uma das vencedoras do primeiro Prêmio Anual do RFID Journal. Ao etiquetar impressoras para uso individual com etiquetas RFID, a HP aumentou não apenas a visibilidade da sua cadeia de suprimentos como também está corrigindo ineficiências nos seus processos de distribuição e fabricação.

6 de janeiro de 2007 - Por Jill Gambon

No dia 02 de maio de 2007, o RFID Journal apresentou seu primeiro RFID Journal Awards—Prêmio RFID Journal—para conquistas marcantes no campo da tecnologia de identificação por rádio frequência na RFID Journal LIVE! 2007, a nossa quinta conferência e exposição anual. A Hewlett-Packard Brasil foi a vencedora na categoria Melhor Implementação RFID.

O uso da tecnologia RFID pela HP ilustra como uma abordagem sofisticada, metódica e inovadora na utilização dos sistemas automáticos de captura de dados pode levar a mudanças benéficas nos processos de fabricação e distribuição. A HP promoveu melhorias em seus processos de fabricação e gestão da cadeia de suprimentos. A escala e a escalabilidade dessa abordagem também são impressionantes.


Sendo uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a Hewlett-Packard, que vale US$ 94 bilhões, possui uma abundância de muitas coisas—clientes, produtos, fornecedores e distribuidores. Porém, algo estava faltando: dados sobre o local de seus produtos à medida que eles percorriam o caminho dos centros de distribuição às prateleiras dos revendedores. Antes desse projeto, em qualquer época do ano, 5 por cento das mercadorias da cadeia de suprimentos de produtos de consumo da HP—incluindo suas famosas impressoras—desapareciam. Isso significava que os produtos haviam sido remetidos, mas a HP não sabia ao certo a localização deles.

Para melhor rastrear seus produtos de consumo, a HP lançou um projeto piloto no Brasil no final de 2004 utilizando a tecnologia de identificação por rádio frequência para etiquetar impressoras e cartuchos de tinta para uso individual. A empresa tinha alguma experiência com a tecnolofia RFID. Ela começou etiquetando caixas e paletes de produtos em 2002, em parte para se adequar às normas do Wal-Mart e do U.S. Department of Defense—Departamento de Defesa dos EUA. Globalmente, a HP implementou a tecnologia RFID em 26 plantas de fabricação ao redor do mundo incluindo a etiquetação de caixas para impressoras nas instalações de Memphis, no Tennessee (EUA) . Mas no Brasil, a HP decidiu dar um passo à frente com a tecnologia RFID. A empresa acreditava que ao etiquetar cada impressora desde o processo de montagem, ela poderia obter benefícios não apenas no gerenciamento da cadeia de suprimentos, mas também nos seus processos de fabricação e distribuição. Além disso, as etiquetas poderiam ser usadas para identificar e rastrear produtos, dentro da garantia, devolvidos à fábrica para reparos.

Desde que o sistema RFID da HP começou a ser utilizado em toda a produção de impressoras no Brasil, em agosto de 2006, a HP etiquetou mais de 2 milhões de itens. Com o aumento da visibilidade do paradeiro de seus produtos, a HP Brasil estima que ela tenha sido capaz de reduzir o inventário de impressoras na cadeia de suprimentos em 17 por cento e afirma estar agora mais perto da perfeição desse processo. A HP Brasil ainda não está rastreando produtos enviados para qualquer revendedor.

"Outro grande benefício da etiquetação de cada item é o conhecimento ganho pela HP a respeito de suas operações, da linha de produção ao centro de distribuição e os serviços de reparo cobertos pela garantia", diz Kami Saidi, Diretor de Operações da HP Brasil. Ao etiquetar cada impressora desde a montagem, a HP sabe agora, por exemplo, o tempo que cada impressora gasta em cada estação na linha de montagem e por quanto tempo uma impressora permanece em uma área temporária de estoque. A empresa está analisando esses dados para que ela possa solucionar quaisquer problemas, seja com os equipamentos ou processos de trabalho, que possam estar reduzindo as velocidades de produção e distribuição.

A HP também está utilizando as etiquetas RFID para criar um "DNA" para cada impressora. Ao salvar as informações exclusivas de cada etiqueta como resultados de testes, dados sobre os cartuchos e destino do produto, a HP pode identificar e rastrear as impressoras que são devolvidas para reparos durante o período de garantia. A empresa afirma que ter um registro completo do histórico da impressora tem melhorado seus serviços de reparo e feito com que a devolução das impressoras aos clientes seja mais eficiente.